Kickboxing

Quarteto traz 5 medalhas do Sul-Americano

O destaque do quarteto piracicabano foi o atleta Matheus Ruiz da Costa

Julio Costa, professor de kickboxing na academia Brock Team Fighters
Julio Costa, professor de kickboxing na academia Brock Team Fighters (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Quatro medalhas de prata e uma de ouro. Assim foi a participação dos meninos da equipe piracicabana Brock Team Fighters em Foz do Iguaçu (PR), no Campeonato Sul-Americano de Kickboxing. A competição foi encerrada no último domingo (3) e fechou o calendário do circuito amador em 2017. O destaque do quarteto foi Matheus Ruiz da Costa, que venceu as duas lutas que fez na categoria point fight, 12 anos (-42 kg), e conquistou o primeiro título internacional da carreira.

Davi Martinucho (point fight, 12 anos, -47 kg) e Isac Lucca (kick light, 15 anos, -52 kg) conquistaram uma medalha de prata cada, enquanto Luiz Gustavo Almeida dos Santos foi vice-campeão nas duas categorias que disputou: light contact e kick light, ambas 15 anos, -42 kg. Na classificação entre países, o Brasil venceu o Campeonato Sul-Americano, seguido pela segunda colocada Argentina.  A delegação do Chile completa a lista dos três melhores classificados.

ANÁLISE

“Os meninos entraram tranquilos, eles ficaram mais ansiosos com a viagem de avião do que com o campeonato em si (risos). Eles estavam bem preparados, independente do tamanho do campeonato, trabalho com eles para que isso não seja levado em consideração. São garotos determinados para serem vencedores. A novidade foi lutar contra alguém de outra nacionalidade, mas, fora isso, estavam todos muito tranquilos”, analisou o treinador da equipe, Julio Costa, de 34 anos.

“O atleta que mais me surpreendeu foi o Matheus. Ele estudou vídeos, tirou dúvidas e realmente foi uma surpresa, venceu bem as duas lutas que fez. Os demais garotos também fizeram o que treinaram, as lutas foram tecnicamente igualadas. A experiência dos adversários fez a diferença. Os resultados servem de estímulo para 2018, vamos acrescentar algo a mais ao trabalho deles e teremos um professor de boxe para ajudar na preparação. Ano que vem, a ideia é disputar o Pan. Quero levá-los com um nível acima do que eles apresentam hoje”, completou o técnico.

Início