Corpo & Mente

Qual o treino ideal para perda de peso?

Qual o melhor exercício para perder peso?

De tempos em tempos, surgem novos treinos e modalidades nas academias, alguns com grande repercussão na mídia, oferecidos para quem busca emagrecer. Essas novidades são bastante interessantes para quem busca variedade e não se interessa pelas atividades mais tradicionais: hoje há várias alternativas conhecidas para quem procura fortalecimento muscular e não se identifica com musculação ou mesmo com o ambiente da academia.

Em relação à perda de peso, porém, surge um problema quando cada nova modalidade é apresentada como a melhor alternativa ou mesmo a solução para quem vem lutando contra a balança há tempos. Nesses casos (bastante comuns), destaca-se sempre a quantidade de calorias que uma sessão de treino pode queimar – o que não é um bom parâmetro para medir o real potencial de emagrecimento, por ignorar um dos fatores mais importantes. Chegaremos a ele mais adiante.

Com a maior oferta de treinos diversos e ênfase em seus benefícios, é frequente também que pessoas até então sedentárias ou que praticavam exercícios esporadicamente matriculem-se em mais de uma modalidade ao mesmo tempo, em busca de conquistar resultados mais rapidamente. Embora muitas vezes a soma dos benefícios físicos faça sentido, essa prática costuma não levar em conta a alta exigência que trará para a pessoa: investimento financeiro, demanda emocional, adequação da rotina…

Workshop - Cassiano de Santis

O emagrecimento com saúde e sustentável, que durará mais do que algumas semanas antes da recuperação do peso, leva um pouco de tempo para ser conquistado. Por isso, o verdadeiro inimigo da perda de peso não é o carboidrato simples, mas a ansiedade de buscar resultados mais rápidos do que o corpo pode oferecer: quem começa a se exercitar estimando quantas calorias perderá ao final de cada aula perde de vista que o principal fator para seu sucesso é a adesão aos treinos ao longo do tempo. Iniciar um exercício intenso e desistir após algumas semanas é uma fonte de estresse para o metabolismo com poucos benefícios a longo prazo.

 

A escolha da atividade física a ser praticada não deveria se pautar, então, apenas (nem principalmente) no potencial da modalidade para queimar calorias após uma ou poucas aulas. Antes, o principal é a probabilidade de continuar praticando exercícios ao longo dos meses e anos; do contrário, são grandes as chances de ser apenas mais um episódio no ciclo de inícios e desistências.

Há inúmeros pontos para se ter em mente que podem ajudar a manter o engajamento duradouro nos exercícios. O primeiro, já citado, é entender que resultados levam algum tempo: conter a ansiedade é mais seguro que acelerá-los. Depois, saber que diversos estudos já mostraram que a chance de se manter praticando um exercício de intensidade moderada é o dobro de praticar um exercício de alta intensidade: pense em longo prazo. Por fim, se há possibilidade de investimento – financeiro, temporal, emocional –, é mais interessante fazê-lo em estratégias de adesão do que em várias modalidades. A pressa é mais inimiga do emagrecimento do que da perfeição.

Cassiano de Santis é psicólogo com formação em Terapia por Contingências de Reforçamento

Início