Tênis de Mesa

Projeto social revela atletas há mais de dez anos

Programa Talentos Piracicabanos atende alunos de todos os níveis e idades

Renan Bento, atleta de tênis de mesa da equipe CCP/APTM
Renan Silveira Bento foi um dos atletas revelados pelo Talentos Piracicabanos (Foto: Líder Esportes)

Nos últimos anos, Piracicaba tem sido soberana na Liga Paulista de tênis de mesa. E um dos motivos que explica esse domínio é o projeto Talentos Piracicabanos. A ação, que tem apoio da Selam (Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Atividades Motoras), reúne atualmente cerca de 50 alunos na Etec (Escola Técnica Estadual) Deputado Ary de Camargo Pedroso, onde promove aulas gratuitas nas terças e quintas-feiras, das 18h às 21h.

Para Gabriela Vasconcellos, o projeto permite a escola conversar com a sociedade

O programa está em vigor desde 2004, quando ocorria no CAP (Clube Atlético Piracicabano), e mudou de sede cinco anos depois. “Quando começamos, Piracicaba não entrava no pódio da Liga Paulista desde 1993. Em 2004, já ficamos em terceiro lugar e, de lá para cá, só fomos campeões”, relatou Fábio Paes, idealizador do projeto. Segundo o professor, a iniciativa serve como formação de base para a equipe de competição do CCP/APTM/ETEC/Liceu/Selam (Clube de Campo de Piracicaba), além de funcionar como instrumento de socialização.

CENOURA

O técnico Cenoura ressalta o número de atletas revelados pelo projeto Talentos Piracicabanos desde seu início (Foto: Líder Esportes)

Renan Silveira Bento foi um dos atletas revelados pelo Talentos Piracicabanos. Agora, aos 21 anos, ele cursa publicidade e propaganda na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), em Belo Horizonte (MG), mas, sempre que está em Piracicaba, participa dos treinos na Etec. “É uma coisa que não consigo mais ficar sem. Quando venho para cá, sempre mando mensagem para o Cenoura (Fábio Lopes, treinador) e pergunto quando voltam os treinos para eu bater uma bola”, disse.

Bento integrou o projeto na época em que ele se encontrava no CAP e, desde então, não consegue mais se desvincular da modalidade. “Comecei mais como brincadeira, mas passei a jogar mais sério e a disputar campeonatos. Isso faz uns sete ou oito anos, e acabei descobrindo no tênis de mesa uma paixão que não tenho por nenhum outro esporte”, afirmou o mesatenista, que defendeu já defendeu a cidade na Liga e no Campeonato Paulista.

Djalma Nakashima, 11, ingressou no programa há três anos e também tomou gosto pelo tênis de mesa ao longo do tempo. A princípio, a intenção dele era apenas emagrecer. “Conheci o projeto porque meu pai é amigo do Cenoura e entrei porque estava acima do peso. Estou gostando e quero ser um jogador”, contou.

TALENTOS

De acordo com Cenoura, há 16 atletas no CCP que não são sócios do clube e, portanto, saíram do Talentos Piracicabanos. “Os alunos que têm nível melhor estão participando de competições tanto regionais como estaduais. Fazemos o repasse da criançada que tem talento, eles vão para o Clube de Campo e, de lá, partem até para torneios nacionais”, informou. O técnico ainda destacou que o programa abrange pessoas de todos os níveis e idades. Os iniciantes praticam das 18h às 19h30, enquanto os mais velhos treinam entre 19h30 e 21h.

A diretora da Etec, Gabriela Vasconcellos, ressaltou a importância do Talentos Piracicabanos para a instituição. “O projeto dá a oportunidade de a escola conversar com a sociedade. Ele permite que tenhamos integração com toda a comunidade que está ao nosso redor. E tudo isso acontece por meio do esporte, que é muito importante para o jovem”, salientou. Paes ainda tem o objetivo de expandir o projeto para novos locais e, assim, levar o esporte também para outros bairros.

DSC_0037

As atividades acontecem na Escola Técnica Estadual Deputado Ary de Camargo Pedroso (Foto: Líder Esportes)

Início