Voleibol

Projeto busca talentos do voleibol em Piracicaba

Atividades acontecem diariamente no Ginásio Municipal de Esportes da Paulicéia

Regiane Bidias, jogadora de vôlei revelada pela Apiv
A heptacampeã brasileira Regiane foi revelada pelo clube piracicabano (Foto: Arquivo Pessoal/Unilever)

Enquanto aguarda a definição do calendário para a equipe adulta, a Apiv/Unimep/Selam (Associação Piracicabana de Voleibol) dá seguimento ao Projeto Amigos do Voleibol, iniciativa lançada há dois meses e que busca encontrar meninos e meninas com idade entre 11 e 15 anos dispostos a conhecer o esporte. As atividades acontecem de segunda a sexta-feira no Ginásio da Pauliceia. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no ginásio (rua Dona Idalina, sem número). O trabalho é conduzido pelos técnicos Zeca e Chico Santos, braço direito de Bernardinho nas conquistas de oito Ligas Mundiais, três Campeonatos do Mundo e o histórico ouro olímpico de 2004, em Atenas, pela seleção brasileira masculina.

“Nosso objetivo nestes primeiros meses é a massificação do esporte, buscamos jogadores em quantidade. Com o tempo, você faz um trabalho de qualificação. Nossa ideia inicial é trabalhar em cima de quantidade e, a partir do ano que vem, fazer uma seleção dos melhores atletas pensando na continuidade do trabalho”, afirmou Chico. De acordo com o campeão olímpico, o foco é aumentar os polos na cidade. “Nós queremos colocar mais pessoas para trabalhar, professores que possam ajudar a aumentar a busca pelos novos talentos”, completou.

HORÁRIOS

Mais de 70 alunos já se inscreveram para participar das atividades, que estão sendo realizadas inicialmente no Ginásio da Pauliceia. As turmas masculinas treinam de segunda e quarta-feira pela manhã, das 10h às 12h, e de terça e quinta-feira pela tarde, das 16h às 18h. Para as meninas, as aulas acontecem pela manhã todas as terças e quintas-feiras, das 10h às 12h, e no período da tarde, às quartas e sextas-feiras, das 16h às 18h. Não é necessário ter experiência para participar do projeto. De Piracicaba, saíram nomes como Regiane Bidias, jogadora heptacampeã da Superliga pelo Rio de Janeiro, e Leia Henrique, líbero da seleção brasileira.

“Além dos núcleos, nós vamos, ao mesmo tempo, buscar mais técnicos. A massificação não é demorada, é um processo rápido, coisa de três meses para colocar muitas crianças na quadra. A qualificação é uma etapa mais lenta. Hoje, a média é de que a cada um milhão de candidatos, sai um atleta do mais alto nível. É claro que nós vamos encontrar jogadores de bom potencial, mas queremos formar atletas de primeiro nível, como é o caso da Regiane e da Leia. A hora é de trabalhar”, completou Zeca.

Início