Futebol

Pressionado, XV muda para encarar Operário-PR

Zé Mateus, Gilsinho, Léo Carvalho e Frontini devem iniciar o duelo em Piracicaba

Márcio Fernandes, técnico do XV de Piracicaba
Márcio Fernandes faz mistério em relação ao time titular do Alvinegro (Foto: Mauricio Bento/Líder Esportes)

Após duas derrotas consecutivas, o assunto no XV de Piracicaba não poderia ser diferente: só a vitória interessa no jogo desta sexta-feira (9), às 20h, contra o Operário-PR no Barão da Serra Negra. A partida é válida pela quarta rodada da Série D do Campeonato Brasileiro. Em caso de vitória, o Nhô Quim seguirá vivo na briga pela classificação para a segunda fase. Com bastante equilíbrio no Grupo 15, a equipe paranaense segue em busca do primeiro ponto fora de casa, já que apenas os mandantes venceram seus jogos na chave.

Com a saída do meia-atacante Serginho, que acertou com o Jorge Wilstermann, da Bolívia, para a disputa da Copa Libertadores, o técnico do XV de Piracicaba, Márcio Fernandes, será obrigado a mexer na equipe titular, mas não revelou o substituto. “Vou usar de todas as artimanhas para deixar o Operário com dúvidas de quem pode jogar. Essas coisas parecem que não fazem, mas fazem sim a diferença. Eles já sabem que o Serginho não vai jogar. O que eu puder, não digo esconder a notícia, mas sim retardar, vou fazer”, disse Fernandes.

Além de Serginho, o XV não poderá contar com o zagueiro Doni, que segue vetado pelo departamento médico, devido à lesão no joelho esquerdo. O atacante Rafael Gomes, recuperado de lesão na coxa, voltou aos treinamentos na quarta-feira (7), mas não deve ser relacionado. O lateral-direito Crystian, recuperado de caxumba, está à disposição. Embora não tenha revelado o time que vai a campo, Márcio Fernandes deverá fazer quatro alterações: Zé Mateus, Gilsinho, Léo Carvalho e Frontini devem ficar com as vagas de Lucas Cunha, Gilson, Serginho e Carlos Alberto. O XV deve entrar em campo com Mateus Pasinato; Zé Mateus, Rodrigo, Vinícius Simon e Samuel; Bruno Formigoni, Robston e Gilsinho; Léo Carvalho, Romarinho e Frontini.

OPERÁRIO

Sem desfalques, o Operário deve repetir a equipe titular em Piracicaba. Para o técnico Gérson Gusmão, a partida deve ser encarada como um mata-mata. “É um jogo fundamental para as nossas pretensões, não podemos errar. Nós podemos render mais do que no último jogo, em que fizemos um início muito bom, dominamos as ações, com saída de bola, com tranquilidade, rodando essa bola com paciência. Mas no segundo tempo isso não aconteceu. Então vamos corrigir algumas coisas. Mesmo com todas essas dificuldades, estamos três pontos à frente do nosso adversário direto. O mata-mata começa agora e vamos em busca do resultado positivo para nos deixar perto da classificação”, disse Gusmão em entrevista coletiva.

Início