+ Esportes

Piracicabanos disputam campeonato de Dota 2

Time estreia formação em janeiro; jogo eletrônico uniu o casal Edson e Gisele

Edson é de Salvador (BA) e Gisele é piracicabana. Os dois se conheceram na internet e não demoraram para “se gostar”, como diz ele. Depois de algumas visitas, o relacionamento ficou sério e Edson foi morar em Piracicaba. Mas algo irritava Gisele: “Ela me pedia atenção e eu falava que estava jogando Dota, mas ela respondia que odiava isso (risos). Falei para Gisele: o dia que ela conhecesse, iria gostar. Foi o que aconteceu”, disse. O soteropolitano tinha razão e o que era gosto fica cada dia mais sério.

Membros da equipe Elizium, Edson e Gisele disputam em janeiro de 2018 o WPG, evento nacional que tem como função revelar atletas. A competição marca a estreia da formação atual, que conta com mais três representantes de Piracicaba: o off Davi “Luckless” Rodrigues, o suporte 4 Gustavo “Gusta” Stevale e a suporte 5 Fabiana “Fabiphyceae” da Rosa. No jogo, Edson ocupa a posição de hard carry e leva o nome de Edson “Hazaziel” Farias, enquanto Gisele “Sun Flower” Amaral faz as vezes de administradora e recrutadora. O grupo ainda conta com o mid Keki “Kuroko” Martins, de Brasília (DF).

Cada equipe é formada por cinco personagens, chamados de heróis, responsáveis pelos combates que acontecem no mapa

A Elizium existe há cerca de dois anos e é a primeira equipe do clã ELZ1 com foco em disputas profissionais. O clã, presidido por Danilo “Darklost” Vieira, de Curitiba (PR), funciona como uma empresa que reúne e gerencia equipes que disputam jogos eletrônicos como Paladins, LOL (League of Legends) ou Counter-Strike. “O cenário do Dota 2 vem crescendo muito no Brasil e hoje alguns jogadores que participam de torneios internacionais. Para jogar, basta ter internet e um computador com capacidade para suportar o jogo”, contou Gisele.

O Dota (Defense of the Ancients) é derivado do Warcraft, jogo de estratégia baseado em formação de exército lançado e no mercado mundial de forma profissional. O principal objetivo do game é destruir o Ancestral, construção localizada no centro da base inimiga. Na partida, existem três trilhas e são fixadas três bases, defendidas por criaturas e torres. Cada equipe é formada por cinco personagens, chamados de heróis, responsáveis pelos combates que acontecem no mapa com o decorrer do jogo.

Edson não esconde a ansiedade para a disputa do campeonato (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Conforme havia dito Edson, Gisele se apaixonou pelo Dota 2. Hoje, o casal conversa bastante sobre o jogo e, como não poderia ser diferente, as discussões também acontecem. “No Dota você se revela (risos). É comum discutir. Por exemplo: tenho um herói que é ‘bom’ de velocidade e vou usar isso para chegar ao inimigo, mas preciso que ela cause um impacto. Se ela errar, o inimigo me pega e aí fico com raiva (risos). O jogo funciona em completa sinergia”, contou Edson. “Algumas vezes não concordamos na estratégia”, completou a piracicabana.

Os demais membros da equipe Elizium foram chegando aos poucos. Davi, Gustavo e Fabiana também são de Piracicaba; Keki é de Brasília (DF). A ansiedade para a estreia é intensa. “Nós estamos ansiosos, sim. Nervosismo, não é? A cada derrota que sofremos, imagino isso refletido no campeonato. Não é pessimismo, mas uma forma de encarar a realidade. A repetição de erros pode significar uma derrota. É mais uma oportunidade para testar nossos conhecimentos”, discursou Edson.

COLETIVO

Gisele destaca a importância de fazer a leitura correta de cada função e cumprir as ‘mini-metas’. No WPG, serão 32 equipes amadoras brigando pelo título. O objetivo mínimo da Elizium é chegar às quartas de final. “Vamos colocar a nossa calma à prova. É algo que perguntamos: como o grupo vai se portar? A equipe tem treinado diariamente, sempre à noite, com dois jogos. A duração de cada partida varia, em média, de 45 minutos a uma hora. É preciso ser frio e calculista. O Dota 2 é um jogo bastante tático e que exige, fundamentalmente, espírito de equipe. Ninguém vence sozinho”, completou.

Gisele e Edson: unidos pelo esporte eletrônico e pelo Dota 2 (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Início