Opinião

Piracicaba na Olimpíada: eu acredito!

Falta somente mais um passo para o ótimo taekwondista piracicabano Guilherme Félix, de 26 anos, conquistar o seu maior objetivo: o passaporte para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Seria a coroação de um grande trabalho do atleta, que já deu muitos frutos para o esporte da Noiva da Colina. Félix, que é orientado pelo experiente professor Frederico Mitooka, da equipe Dojan Nippon, faz a última seletiva no dia 14 de fevereiro, no Rio de Janeiro, na categoria pesado (acima de 80 kg). Ficamos na torcida!

Conheço a trajetória de Guilherme Félix desde o ano de 2006, quando comecei a atuar no esporte local. Ainda era um menino, um adolescente, mas já com grande talento naquela época. Entrevistei algumas vezes a então promessa, quase sempre antes de eventos importantes. A luta para ir a mundiais, pans e brasileiros sempre foi difícil pela falta de apoio financeiro, mas ele nunca desistiu e representou com garra a camisa amarela, trazendo muitas medalhas. Hoje, maduro e na condição de um dos principais atletas de sua categoria, vejo que não há mais limites para seus sonhos.

Desde a olimpíada de 2008, em Pequim, na China, quando a atleta Débora Nunes “bateu na trave” e quase conquistou uma medalha para o Brasil, Piracicaba espera por esse momento. A preparação vem sendo feita com todo o cuidado pela equipe de Mitooka (que já foi técnico do selecionado brasileiro de taekwondo) para que o nosso campeão tenha todas as condições de carimbar o passaporte para buscar a medalha dourada dentro de casa, diante dos torcedores brasileiros.

As dificuldades, logicamente, serão enormes. Ainda mais porque a seletiva carioca será a última chance para os postulantes à única vaga olímpica como titular na categoria pesado – o segundo colocado ficará como reserva no selecionado brasileiro. Mas não tenho dúvidas de que a tradição do taekwondo da nossa cidade e a torcida de todos os piracicabanos – tudo isso, aliado ao talento de Guilherme Félix -, farão a diferença. Eu acredito!

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Início