Kickboxing

Piacentini projeta ano com permanência no topo

Atleta piracicabano prioriza Campeonato Pan-americano e as edições do WGP

Gustavo Piacentini, lutador de kickboxing de Piracicaba
Piacentini quer fazer mais de uma luta no WGP em 2016 (Foto: João da Hora/WGP/Divulgação)

Recordista de títulos dos Jogos Abertos do Interior, tricampeão da Copa do Brasil e referência quando o assunto é kickboxing, Gustavo Piacentini traça planos para continuar no topo em 2016. No último dia 14, a CBKB (Confederação Brasileira de Kickboxing) divulgou o calendário de eventos para a temporada e o atleta piracicabano listou duas prioridades: o Pan-americano pela seleção brasileira e as edições do WGP, principal competição do circuito profissional.

Piacentini retomou as atividades no dia 5 de janeiro com um reforço físico

“Como faixa preta, sempre tenho a expectativa de representar bem a seleção brasileira, assim como fiz nos últimos anos. Em 2016, quero repetir o bom trabalho, principalmente no Campeonato Pan-americano, que será no México (Cancún, de 27 a 30 de outubro). Mas também tenho grande interesse no evento profissional, o WGP. Pelo calendário divulgado, serão muitas edições neste ano, o que me permite fazer mais de uma participação”, disse Piacentini.

Mesmo depois de fechar 2015 com a quinta medalha de ouro nos Jogos Abertos do Interior, conquistada em Barretos, e se tornar o maior campeão do torneio, Piacentini evitou ‘esticar’ as férias. O atleta retomou as atividades no dia 5 de janeiro com um reforço físico. Na semana seguinte, já estava treinando ‘pesado’ novamente ao lado dos técnicos Wilson Teodoro (kickboxing e muay thai) e Marcos Ribeiro (boxe).

GUSTAVO PIACENTINI 01

Gustavo Piacentini quer repetir em 2016 as façanhas alcançadas no ano passado (Foto: Arquivo Pessoal)

“Eles sempre me cobram de uma forma positiva e me ajudam a crescer nos aspectos tático e técnico do combate. Também  tenho feito um trabalho fisico muito intenso desde ano passado com o preparador  Yuri Henrique, da academia Fit Me, pois penso que, no alto nível, todos os adversários são extremamente técnicos e experientes. O que pode fazer a diferença é o quanto eu consigo impor meu ritmo contra eles”, afirmou o lutador.

CONTINUIDADE

Os títulos e a carreira sólida de Piacentini no kickboxing fazem dele uma referência no esporte. Ao mesmo tempo em que é mais respeitado pelos rivais, o atleta de Piracicaba sabe que, muitas vezes, é o nome a ser batido em competições como a Copa do Brasil – ele é o atual tricampeão. “É muito dificil chegar ao primeiro lugar, mas mais difícil ainda é permanecer, justamente pelo fato de que os adversários olham mais para você. Além disso, a responsabilidade de vencer é sempre daquele que está em primeiro lugar. Mas eu aprendi a ver isso como uma motivação para me preparar melhor. Gosto de me sentir desafiado, quando os oponentes treinam com o objetivo de me enfrentar e me derrotar. Isso me mantém aceso”, completou.

Início