Kickboxing

Piacentini participa de torneio inédito na carreira

Em Bauru, lutador tem primeira oportunidade de disputar evento de tatame

Gustavo Piacentini, lutador de kickboxing de Piracicaba
Gustavo Piacentini busca ritmo de luta para encarar desafios da temporada (Foto: Líder Esportes)

Pela primeira vez em sua carreira no kickboxing, Gustavo Piacentini participará de um campeonato no qual os combates não acontecem dentro de um ringue. O nome da competição já diz onde o piracicabano lutará: Copa São Paulo de Tatame. Marcado para o próximo domingo (28), o torneio ocorrerá no ginásio Panela de Pressão, em Bauru. O atleta da classe -63 kg trata o certame como uma oportunidade de se preparar para os eventos profissionais que disputará em 2016.

A vitória, para ele, não é prioridade. “Surgiram poucas propostas de disputa no ringue e nenhuma que me chamou muita atenção. Para mim, será muito mais tranquilo em termos de nervosismo, porque não é algo que eu preciso vencer, não é algo no qual sou competitivo”, afirmou o lutador. “E é bom para eu pegar ritmo. Não quero chegar a uma competição importante só treinando, sem ter lutado nada”.

Segundo Piacentini, os campeonatos de tatame não permitem golpes com intensidade, ao contrário de competições de ringue. O piracicabano ressaltou que essa diferença pode ser benéfica para ele. “É uma modalidade na qual se precisa controlar muito sua força. Vai ser um belo desafio. Se eu for bem, será um ganho no sentido de controlar o movimento”, informou o lutador, que também destacou o baixo risco de contusão. “Por essa falta de contatos extremos, é difícil ocorrer lesão”, salientou.

No entanto, o atleta disse que não estará em suas melhores condições na Copa Tatame devido à falta de ritmo neste início de ano. “Nas primeiras competições da temporada, sinto que estou lento, pesado, sem reflexo algum. Isso faz parte, é normal. Não adianta eu querer estar no meu 100% nessa competição, porque sei que isso não vai acontecer”, declarou Piacentini.

PLANEJAMENTO

O piracicabano já analisa as possibilidades de marcar presença em torneios profissionais, que são o foco dele neste primeiro semestre. “Conversei com os organizadores do WGP (evento nacional da modalidade), e eles já demostraram interesse em me colocar no GP. Ainda não tem data marcada. Tem um outro torneio em maio, que um empresário me contatou para a fazer a superluta do evento”, contou o atleta, que se encontra em quarto lugar no ranking de sua categoria no WGP.

Início