Kickboxing

Piacentini elogia experiência europeia: ‘Incrível’

Lutador diz que vive fase de amadurecimento e está confiante para temporada

Gustavo Piacentini, lutador de kickboxing
Piacentini está de volta ao Brasil, mas não estabelece prioridades (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Após 50 dias de pré-temporada na Espanha, o lutador piracicabano Gustavo Piacentini está de volta ao Brasil. Ouro no Pan de Cancún, tetracampeão da Copa do Brasil e hexa dos Jogos Abertos do Interior, o atleta avaliou positivamente a experiência europeia e diz que está mais maduro em relação ao ano passado, porém, evitou falar em prioridades para 2017. “Não vou dizer que tal competição é o principal objetivo, vou encarar todos eventos com seriedade. No circuito profissional, não sou eu que escolho se vou ou não participar de algum evento importante, tem outros fatores envolvidos. Mas, claro, se a oportunidade surgir, é uma motivação a mais”, disse.

Perguntado sobre a pré-temporada fora do país, Piacentini elogiou o trabalho desenvolvido na Espanha e trouxe na bagagem novidades no campo do treinamento. “A experiência foi incrível em termos de aprendizado. A forma como eles conduzem os treinamentos, a periodização… Acho que esse foi o grande diferencial. Aprendi técnicas novas, que posso aperfeiçoar e utilizar, mas o fato de aprender como treinar corretamente, na minha opinião, foi o mais marcante”, disse o atleta, que em 2017 terá o apoio da academia Fit Me, MP Suplementos e Selam.

TEMPORADA

De olho no calendário, Gustavo Piacentini treina sob o olhar do preparador físico Bilico Carvalho para o primeiro compromisso oficial da temporada. A estreia, porém, ainda não tem data marcada. “Voltei aos treinos enquanto aguardo a divulgação do próximo evento, mas não colocarei como prioridade algo ainda incerto. O que nós já sabemos é que 2017 é ano de Campeonato Sul-Americano e Mundial. Independente de qual seja a competição, vou honrar o nome de Piracicaba e da seleção brasileira”, garantiu o lutador.

Em relação ao quanto evoluiu na comparação com o ano passado, Piacentini diz que sua versão 2017 é mais ‘madura’. “Acho que maturidade é a palavra certa. Com o passar do tempo, aprendemos algumas coisas, a questão física varia. Busco sempre estar com a melhor condição possível, mas experiências como a que vivi na Espanha nos dão algo que não estão em livros, é a vivência que nos faz adquirir. Sinto que estou amadurecendo com o tempo, espero que isso me ajude no esporte também”, completou.

Início