Futebol

Oeste garante jogo contra o XV em Itápolis

Diretoria descarta mudança de local: 'Pedimos inclusive policiamento'

Oeste recebe o XV de Piracicaba pela última rodada da primeira fase do Paulistão
Já rebaixado, o Oeste recebe o ameaçado XV de Piracicaba no Estádio dos Amaros (Foto: Oeste FC)

A diretoria do Oeste descartou qualquer possibilidade de mudar o local da partida do próximo domingo (10), contra o XV de Piracicaba, pela última rodada da primeira fase do Paulistão. LÍDER entrou em contato na tarde desta segunda-feira (4) com o secretário de futebol do clube, Valdemir Curti, que confirmou o jogo às 16h no Estádio Municipal dos Amaros. Com o rebaixamento do time de Itápolis concretizado após a derrota de sábado passado para o São Paulo, ganhou força a especulação de que o duelo poderia ser disputado na região de Piracicaba.

“Garanto que aqui ninguém conversou nada sobre essa possibilidade, inclusive já falamos com o policiamento pensando na partida em Itápolis. Digo com 99,9% de certeza que o jogo será aqui”, disse o dirigente, que em 1995 foi técnico do time sub-15 do Nhô Quim. “O XV pode escapar, mas outros times que também têm chances. Acredito que a própria FPF (Federação Paulista de Futebol) não aceitaria um pedido de mudança de mando neste momento”, completou.

ABATIMENTO

Independente de onde será a partida, o XV de Piracicaba vive situação dramática. Com 14 pontos a equipe está em 17º lugar na classificação geral e, além de vencer o Oeste, precisa que três adversários entre Água Santa, Botafogo, Ferroviária e Mogi Mirim tropecem na última rodada – matematicamente, as chances de queda são de 92%. “Temos que ganhar lá em Itápolis e ‘secar’ os outros. Não tem outra solução. Estou bastante chateado. Talvez, o empate contra o Linense seja o ponto da salvação”, disse Narciso, em entrevista coletiva.

“O XV tem competência para ficar na Série A1, pois tem jogadores de qualidade. A gente sente também, mas tentei dar uma animada nos atletas para que a gente possa sair de Itápolis com a permanência. No ano passado, quando eu estava no Linense, aconteceu a mesma coisa. Precisava de três resultados e aconteceu”, afirmou o treinador. “Ficar (na Série A1) não é motivo para comemorar. A comemoração seria por deixar o XV na primeira divisão, mas ainda assim seria algo frustrante”, completou.

Início