Opinião

O XV contraria a lógica

*Capa: Mauricio Bento/Líder Esportes

Classificado com antecipação, com quatro rodadas de antecedência e a invencibilidade que já dura nove jogos, não há como deixar de ser otimista e acreditar que o XV de Piracicaba vai avançar de fase na Copa Paulista. O que foi demonstrado em campo na primeira fase nos leva a crer nisso. Embora os primeiros jogos tenham sido aos trancos e barrancos, o Alvinegro se encontrou na competição e ganhou reforços consideráveis para a sequência do campeonato, que elevam as chances de brigar pelo título. Escrevi em outra oportunidade e volto a dizer: individualmente, o elenco atual é mais forte que o campeão em 2016, além de possuir uma base melhor para disputar a Série A2 do Paulista. Isso não quer dizer que o XV será campeão.

Não existe uma fórmula mágica no futebol. A atual temporada no Brasil escancarou que ter muito dinheiro em caixa não garante o sucesso em campo. Palmeiras e Corinthians são exemplos. Enquanto um gastou muito em reforços e não respondeu em campo, o outro gastou pouco e vem obtendo sucesso. É claro que, todas as equipes gostariam de ter muito dinheiro para gastar e se reforçar. Teoricamente, com dinheiro, a chance de dar certo é maior. Com o XV não é diferente. Na Série D do Brasileiro, o gasto com comissão técnica e jogadores girou na casa dos R$ 300 mil. Raras foram as equipes que puderam fazer esse investimento e, mais importante, pagar os valores oferecidos. Infelizmente, o Alvinegro não passou da primeira fase. O Operário-PR, com méritos, conquistou o acesso e o título.

Pelo que tenho visto do XV nos últimos nove anos, sempre que um planejamento é traçado e as coisas apontam para o caminho certo, criam-se expectativas otimismo, mas o resultado final frustra a maioria. Curiosamente, quando é feito o contrário, o que não é o ideal, longe disso, as coisas têm dado certo. No segundo semestre de 2008, o XV vinha de troca de diretoria, sem dinheiro, situação bem complicada para se montar um time, e se não fosse por um gol aos 48min do segundo tempo, teria conquistado a Copa Paulista. Em 2010, um planejamento que iniciou errado na escolha do treinador, brigando contra o rebaixamento, e após correções o acesso foi conquistado.

Me lembro bem do discurso no início de 2011. “Vamos nos manter na A2, conseguir estabilizar, e em dois ou três anos, brigar pelo acesso. A campanha foi surpreendente. Em 2013 e 2014, baixo investimento na Copa Paulista, muitos jogadores de base no elenco, e o clube foi semifinalista. Em 2015, novamente erro na escolha do treinador para Série A1, esse para ‘aplaudir em pé’. Troca no comando e o XV chegou às quartas de final do Paulista. Na Copa Paulista 2016 o objetivo foi claro: Não gastar e montar uma base para a Série A2. Deu tudo certo. E o planejamento para 2017? Não disputar a Copa Paulista, depois resolveu disputar. Não tem dinheiro, então faz malabarismo no semáforo e monta o time com o que arrecadar. E o resultado? Uma das melhores campanhas da competição. O XV precisa ser estudado.

E o que esperar do XV para a sequência da Copa Paulista? Pelo futebol apresentado e os resultados obtidos, que ele conquiste o bicampeonato. Baseado no inicio do planejamento, que precisou ser reinventado, torço para que o XV mantenha o retrospecto e siga contrariando a lógica.

Marcelo Sá é radialista e jornalista na Rádio Jovem Pan News Piracicaba

Início