Automobilismo

O que é drift? Conheça o esporte da derrapagem

Piracicaba recebe neste fim de semana a segunda etapa do Super Drift Brasil

Diferente do que se pode imaginar, o drifting é uma competição de carros em que não se busca apenas cravar o tempo mais rápido ou atingir o maior limite de velocidade. Nesta modalidade, outros fatores têm maior importância – ângulo, velocidade de entrada do drift e proximidade em relação ao clipping point. Ângulo, aqui, é referência à inclinação do carro em relação ao traçado do circuito; quanto mais inclinado, mais espetacular é a manobra.

O drift foi criado no Japão entre as décadas de 1970 e 1980 por pilotos amadores

O público de Piracicaba pode acompanhar de perto a segunda etapa do Super Drift Brasil. O evento será realizado a partir das 11h deste domingo (26), quando está programada a abertura dos portões e o início da classificação dos pilotos – a movimentação na pista, contudo, está agendada para as 13h. Os ingressos antecipados custam R$ 10 – clique aqui para comprar. No dia do evento, o valor é de R$ 15 nas bilheterias – o estacionamento custa R$ 20.

A velocidade de entrada também é importante, porque faz com que a derrapagem seja mais intensa. Os clipping point são balizas, geralmente cones, colocados em espaço da pista em que a arbitragem julga encontrar as manobras perfeitas – quanto mais próxima é feita a manobra em relação a estas balizas, maior é a pontuação alcançada pelos pilotos. Mas, de onde é que surgiu esta competição tão diferente?

O drift foi criado no Japão entre as décadas de 1970 e 1980. A modalidade começou a ser praticada sobretudo por pilotos amadores. No Japão, as estradas são mais estreitas e curtas comparadas às americanas e europeias. Devido à fiscalização policial, os corredores decidiram praticar o esporte em estradas de montanha. As curvas fechadas e a ausência de trânsito permitiam realizar derrapagens, proporcionando manobras espetaculares. Foi nestas estradas de montanha que surgiu o nome de Keiichi Tsuchiya.

Ilustração - Drift

O piloto japonês foi o protagonista de um dos primeiros vídeos de ‘drifting’ que circulou pela internet e ganhou admiradores em todo o planeta, além de inspirar novos pilotos da modalidade. Não demorou para que o esporte começasse a ser organizado por federações: em 1988, no Japão, aconteceu o primeiro campeonato oficial de drift; nos Estados Unidos, a primeira competição foi realizada em 1996. Desde então, o crescimento é constante e se justifica tanto pela beleza da manobra quanto pelo ambiente de ‘rua’.

Mas, que tipo de preparação necessita um carro para participar deste esporte? O primeiro e mais importante é a tração traseira, o que não significa que os carros com tração dianteira não possam realizar o drifting, porém, as manobras não fluem da mesma maneira. Os diferenciais precisam estar bloqueados para que as duas rodas traseiras girem ao mesmo tempo e quanto mais dura a suspensão, melhor. Os pneus também precisam ser duros: quanto menor a aderência, maior o poder de derrapagem.

Início