Futebol

Nhô Quim perde 3ª seguida e fica perto do adeus

XV de Piracicaba joga mal, sofre derrota para Operário e flerta com a eliminação

Romarinho foi mal e acabou substituído no intervalo da partida (Foto: Mauricio Bento/Líder Esportes/Orientec)

A aventura do XV de Piracicaba pela Série D do Campeonato Brasileiro está cada dia mais próxima do fim. Com uma atuação desastrosa nesta sexta-feira (9), o time piracicabano perdeu do Operário-PR no Barão da Serra Negra por 1×0, gol marcado pelo atacante Batatinha. O resultado deixou o Nhô Quim na lanterna do Grupo 15, com apenas três pontos, seis atrás do rival paranaense e no aguardo do desfecho da quarta rodada, que ainda tem programado o duelo entre São Paulo-RS e Brusque-SC. Na próxima sexta-feira (16), o XV volta a jogar em casa, às 20h, desta vez contra o clube de Santa Catarina.

O XV entrou em campo com nove jogadores que estavam na Série A2

Márcio Fernandes mexeu mais uma vez na equipe titular. Com Zé Mateus de volta ao lado direito da defesa, Bruno Formigoni na cabeça de área, Gilsinho como homem de armação no meio-campo, e Bruninho e Romarinho ao lado de Carlos Alberto no ataque, o treinador apostava na velocidade dois dois pontas para furar o bloqueio defensivo montado pelo time paranaense. Na prática, o XV entrou em campo com a base da formação que quase foi rebaixada para a Série A3 do Campeonato Paulista, ‘reforçada’ apenas pelo zagueiro Vinicius Simon e pelo meio-campista Robston.

O Nhô Quim iniciou a partida em cima do adversário, forçando o jogo pelo lado direito, mas abusando do número de passes errados. A falta de criatividade ficou evidente após 15 minutos: nenhuma jogada foi construída, nenhuma tentativa de finalização sequer de longa distância. O Operário estava encolhido e aguardava um erro do adversário para contra-atacar, porém, a bola dificilmente chegava às extremidades do gramado para existir a chance de contragolpear. A cada chutão, aumentava a impaciência do público com a fragilidade do duelo.

A opção óbvia, então, foi investir nas bolas paradas. Desta forma, o XV chegou pela primeira vez aos 24min, quando Gilsinho cobrou escanteio e Vinicius Simon subiu colado no zagueiro Alisson e conseguiu cabecear para defesa sem dificuldades de Simão. A bola ganhou altura e o goleiro preferiu não correr riscos, espalmando pela linha de fundo. Dez minutos depois, Carlos Alberto tentou o chute da entrada da área, mas a conclusão saiu sem força, praticamente recuada para o camisa 1 do Fantasma. O apito que encerrou o primeiro tempo representou um alívio para a bola, tão maltratada nos 45 minutos iniciais.

No intervalo, o técnico Márcio Fernandes fez duas substituições e sacou Bruninho e Romarinho para as entradas de Washington Tito e Léo Carvalho, dois reforços do clube para o Brasileiro. O XV cresceu e, não pelo acaso, chegou duas vezes em menos de dez minutos, as duas em lances que tiveram a participação da dupla substituta: bola alçada pelo meia Léo Carvalho para Rodrigo e cabeceio defendido por Simão; finalização de pé canhoto do meia-atacante Tito que explodiu na trave direita do goleiro. A última cartada do treinador foi com Frontini na vaga de Gilsinho.

CASTIGO

O ímpeto do XV, entretanto, durou apenas 15 minutos. O Operário-PR truncou a partida como quis e o entusiasmo, aos poucos, deu lugar ao desânimo, que se fez presente pela falta de capacidade do time piracicabano para propor o jogo. A bola pela qual a equipe paranaense veio procurar em Piracicaba foi encontrada aos 34min. O lateral Zé Mateus errou na saída e Danilo Baia recuperou para o Fantasma. O ala avançou como quis e bateu cruzado. Livre, Batatinha entrou de carrinho pelo lado esquerdo do ataque e venceu Mateus Pasinato para definir o placar.

FICHA TÉCNICA

Esporte Clube XV de Piracicaba

0   XV DE PIRACICABA

Mateus Pasinato; Zé Mateus, Vinicius Simon, Rodrigo e Samuel; Formigoni, Robston e Gilsinho (Frontini); Romarinho (Washington Tito), Bruninho (Léo Carvalho) e Carlos Alberto. Técnico: Márcio Fernandes

1   OPERÁRIO-PR

Simão; Danilo Baia, Diego Macedo, Alisson e Peixoto; Chicão, Serginho Paulista, Athos (Washington) e Cristian (Batatinha); Jean Carlo e Vandinho (Sosa). Técnico: Gérson Gusmão

Gol: Batatinha (OPE) aos 34min/2ºT | Árbitro: Enoque Costa Pacheco| Cartões amarelos: Bruninho, Robston, Samuel e Vinicius Simon (XV); Athos (OPE) | Público: 1.104 pagantes | Renda: R$ 16.605,00

Início