Karatê

Natalia Brozulatto é prata em Budapeste

Em boa fase, piracicabana volta ao pódio nas competições internacionais

Natalia Brozulatto, atleta de karatê da academia Sport Way
Natalia Brozulatto tenta aumentar na Turquia a galeria de títulos internacionais (Foto: Mauricio Bento/Líder Esportes)

Natalia Brozulatto conquistou no último sábado (16), na Hungria, a medalha de prata no Aberto de Budapeste, categoria -68 kg. A brasileira fez quatro lutas e conquistou três vitórias na competição. Na final, houve empate por 0x0. Na decisão da arbitragem, o ouro ficou com a eslovaca Viktória Pillárová. Já a medalha de bronze foi dividida entre as húngaras Dóra Czagány e Réka Virág Vass. “Foi um ótimo resultado, a medalha me dá confiança para a sequência do trabalho. Agradeço o suporte que tenho recebido”, disse a lutadora.

O evento em Budapeste foi o segundo que Natalia Brozulatto disputou em sequência na Europa. No primeiro, em Leipzig, a atleta da equipe Sport Way/Selam/JF Comercial/Apreciate/Vertra/Tokaido fez três boas lutas na etapa da Alemanha da Premier League, a Liga Mundial de Karatê, mas parou na repescagem. A piracicabana estreou com o triunfo sobre a polonesa Iga Butrym, perdeu nas oitavas de final para a japonesa Kayo Someya, medalhista no último mundial, e empatou com a turca Seyda Burucu na tentativa de brigar pelo bronze, mas foi eliminada nos critérios de desempate.

TURQUIA

O próximo desafio, que encerra a ‘turnê’ pelo Velho Continente, será na Turquia, com a etapa de Istambul da Liga Mundial. Natalia Brozulatto, que é terceiro sargento do Exército Brasileiro, busca rechear ainda mais a galeria de conquistas internacionais, que conta com cinco títulos sul-americanos, ouro no US Open, prata na Copa do Mundo e mais quatro medalhas de bronze nos abertos de Alemanha, França e EUA. A piracicabana é ainda a atual campeã dos Jogos Pan-Americanos.

“Eu precisava dessa sequência, estou concentrada apenas em meu trabalho, treinando com foco e o processo de evolução é grande. Fisicamente, estou como eu queria. Agora, é cada vez mais trabalhar a cabeça no sentido de valorizar mais as minhas conquistas. Eu me cobro muito, sou muito crítica”, comentou a atleta, que não escondeu o objetivo na Turquia. “O pensamento sempre é chegar ao pódio, mas é preciso calma para analisar o desempenho. Confio no caminho que estou seguindo”, completou a piracicabana.

Início