Karatê

Natalia aprova retorno: ‘Estava sentindo falta’

Atleta de Piracicaba volta a lutar após dez meses ausente de competições

Natalia Brozulatto, atleta da equipe Sport Way de karatê
Natalia Brozulatto aprovou antecipação da estreia no Campeonato Pan-americano (Foto: Líder Esportes)

Natalia Brozulatto antecipou a volta ao tatame no Campeonato Pan-americano, que terminou neste domingo (29), no Rio de Janeiro. Dez meses depois de conquistar o ouro nos Jogos de Toronto e parar em virtude da gravidez, a atleta ainda não teve tempo para recuperar o ritmo de competição. Foram apenas três semanas de treino e, apesar da derrota para a venezuelana Marianth Cuervo, Natalia avaliou o retorno como positivo, sobretudo pelo fato de acelerar o processo de readaptação.

O próximo compromisso está agendado para o dia 20 de junho na Colômbia

“Achei muito importante a minha volta acontecer agora, fez com que eu acelerasse todo meu pensamento. O Pan-americano não era um campeonato ‘previsto’ e voltar nele fez eu acelerar o treinamento e a cabeça para as próximas competições. Foi muito positivo o retorno antecipado. Estava sentindo muita falta. Quando eu estava treinando, já imaginava: ‘Ainda bem que estou aqui!'”, disse a karateca, que antes do torneio havia que sabia perfeitamente quais eram as limitações que tinha pela frente.

“Tudo o que eu fiz foi para não me arrepender mesmo. Voltei, lutei e quando estava perdendo a luta eu arrisquei, enfim, fiz tudo que teria de fazer. Eu sei que não estou no meu melhor momento e isso se deve ao pouco tempo de treinamento, mas creio que em um ou dois meses, eu vou entrar melhor dentro do tatame”, afirmou a atleta da equipe Sport Way/Selam/Phitofarma/Sindicato dos Metalúrgicos/Mil & Ross/JF Comercial/Onodera/Galileo Grill/Tatu Suplementos.

O próximo compromisso está agendado para o dia 20 de junho, quando Natalia embarca para a Colômbia e disputa o Campeonato Sul-americano, em Cartagena. “Acho que vou estar melhor, mas ainda não estarei com 100% do que posso render. Isso é algo que penso para o final de julho, ainda estou sentindo falta de ritmo de competição, o que é muito importante. Mas, com o calendário apertado, não dá para pensar muito nisso”, completou a lutadora.

Início