Opinião

Momento de mudanças

Em Mogi Mirim, não se viu evolução. Pelo contrário. O XV de Piracicaba encontrou outros problemas. Além de ter mantido o jejum de gols, a equipe de Claudinho Batista sofreu na defesa, que havia mostrado consistência nas duas primeiras partidas do time pelo Campeonato Paulista, contra Corinthians e Água Santa. E o Sapo ainda teve um pênalti não marcado no segundo tempo. Ou seja, no empate por 0x0, o Alvinegro ficou mais perto da derrota do que da vitória.

O desempenho apresentado pelo Nhô Quim neste domingo (14) escancara uma necessidade de mudanças. Não há organização nas jogadas ofensivas, tampouco poder de decisão. Utilizados como pontas pelo treinador, Diney, Henrique Santos e Fabinho têm velocidade e habilidade, mas foram pouco incisivos nas chances que receberam. Talvez seja o momento de desfazer o esquema de dois atacantes pelas beiradas e preencher o meio de campo, pois falta infiltração por esse setor.

Um atleta que seria importante nesse sentido é Adriano Ferreira. No entanto, o volante se recupera de uma lesão muscular e ficará à disposição do técnico apenas daqui um mês. Juliano também chega à frente com qualidade e pode ser uma alternativa para Claudinho Batista. Aos 21 anos, ele integra o elenco profissional do XV desde o Estadual de 2013 e já merece maiores oportunidades.

Passou-se um quinto dos jogos desta primeira fase, e o Alvinegro conquistou dois pontos. Se não fosse o tropeço em casa diante do Água Santa, a campanha estaria dentro das expectativas. O rendimento, porém, encontra-se muito abaixo delas. Pelo nível do plantel, esperava-se melhores atuações. O XV terá de progredir rapidamente e vencer o Rio Claro na quarta-feira (17), no Barão. Senão, definitivamente, a preocupação com o rebaixamento se sobressairá ao objetivo de conseguir uma vaga na Série D do Brasileiro.

Rodrigo Alonso é jornalista e cronista esportivo

Início