Opinião

Matar ou morrer

*Capa: Mauricio Bento/Líder Esportes/Orientec

O jogo desta sexta-feira, diante do Votuporanguense, no estádio Barão da Serra Negra, é considerado uma decisão para o XV de Novembro. Por vários fatores. Além de ser um confronto direto na luta contra o descenso, o chamado duelo dos seis pontos, a vitória também deixará o Alvinegro em boas condições na competição e longe da zona da confusão. Por isso, o apelo da diretoria para que a torcida compareça em bom número para apoiar a equipe. E é essa a hora. É um jogo-chave que irá delinear o futuro do Nhô Quim nos três duelos restantes.

Após receber o time de Votuporanga, o Alvinegro terá duas partidas na sequência fora de casa: Batatais, que luta pelo G4; e o desesperado União Barbarense, em clássico regional. Na última rodada, o XV recebe a Portuguesa, que poderá até estar também lutando pelo G4. Partidas complicadas. Ao analisar a tabela de classificação, acredito que, com sete pontos nos 12 que estarão em jogo, o XV escapa sem sustos e sem depender de resultados. Isso, porém, são duas vitórias e um empate. Assim, o Alvinegro teria de fazer a lição de casa e buscar pelo menos um empate na vizinha Santa Bárbara d’Oeste.

É um resultado plenamente possível. Hoje, a equipe tem outro astral, vem em ascensão após a chegada do técnico Vica e, apesar de alguns jogadores com nível técnico questionável, o time piracicabano tem condições de permanecer na Série A2. O segundo rebaixamento no Campeonato Paulista em dois anos seria muito complicado de a torcida digerir.

Para não viver esse pesadelo novamente é que o torcedor deve encher o Barão da Serra Negra nesta sexta-feira. Vale o esforço porque são somente mais dois jogos em casa e o XV necessita de seu 12º jogador. É comparecer, torcer e ajudar o Nhô Quim nesta fase instável. Depois, com calma, poderemos pensar na remontagem da equipe para fazer um bom papel no Brasileiro da Série D. Aí é outra história.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Início