Natação

Luisa melhora tempo no Maria Lenk: ‘Foi positivo’

Revelação piracicabana consegue bons resultados em evento no Rio de Janeiro

Luisa Braga, nadadora do Clube de Campo de Piracicaba
No Rio de Janeiro, Luisa Braga melhorou o tempo nos 400 m: 'Foi positivo' (Foto: Arquivo Pessoal)

Luisa Braga fechou com saldo positivo a participação dela no Troféu Maria Lenk, que terminou nesta quarta-feira (20) na piscina olímpica do Rio de Janeiro. A nadadora piracicabana não conseguiu a vaga para a Olimpíada deste ano, mas voltou para casa com o melhor tempo da carreira na prova de 400 m nado crawl, especialidade dela. A marca de 4min22s deixou a atleta em sétimo lugar na classificação – nos 800 m, outra prova favorita de Luisa, ela terminou em oitavo lugar após cravar 9min07s.

“A competição foi muito positiva para mim, melhorei meu tempo nos 400 m. Já na prova dos 800 m não melhorei, mas fiquei em oitavo lugar, o que achei muito legal. O saldo foi positivo”, disse Luisa, que tem 17 anos, defende o CCP/CLQ (Clube de Campo de Piracicaba) e visa os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio. Antes do Troféu Maria Lenk, a atleta havia disputado apenas uma competição em 2016 – ela conquistou duas medalhas de ouro e uma de prata no Torneio Regional realizado no clube Gran São João, em Limeira.

CESAR CIELO

A eliminação de Cesar Cielo foi a notícia mais comentada do Troféu Maria Lenk. Ouro em 2008, o maior nome da natação brasileira não alcançou o índice para disputar os Jogos Olímpicos em casa – ele foi superado por Bruno Fratus e Ítalo Manzini nos 50 m livres. Cielo também foi relevado pelo CCP (Clube de Campo de Piracicaba) e treinado por Reinaldo Rosa, atual técnico de Luisa, que não vê a desclassificação do campeão olímpico como algo negativo.

“Eu sinceramente não acho que o fato de ele não ir para a Olimpíada signifique algo ruim. Em primeiro lugar, porque o que ele conquistou na natação, ninguém no Brasil nunca chegou nem perto de conquistar, o legado dele já existe. E além disso, a natação, ainda mais na prova de 50 m livres, é um pouco de sorte também. Foi por 10 centésimos que ele perdeu a vaga. Se eles nadassem a prova outra vez, ele poderia se classificar. Isso faz parte do esporte”, completou Luisa.

Início