Kickboxing

Jhonatan Teodoro projeta ‘lutar mais’ em 2018

Lutador piracicabano conquistou dois títulos em ano de poucos combates

Jhonatan Teodoro, atleta de kickboxing da Company Top Fight
Jhonatan Teodoro é o atual campeão brasileiro de kickboxing (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Poucas lutas e dois títulos conquistados. Assim foi o ano de 2017 para o lutador piracicabano Jhonatan Teodoro, 21, atleta de kickboxing da equipe Company Top Fight. Após participar do WGP em maio, principal evento do circuito profissional, Jhonatan Teodoro foi campeão brasileiro e medalhista de ouro nos Jogos Abertos do Paraná, competição na qual defendeu a cidade de Carambeí. O lugar mais alto do pódio veio na categoria 71 kg ao vencer os dois primeiros combates por nocaute. Na final, o adversário desistiu da luta e o triunfo foi obtido por WO.

O último compromisso do atleta nesta temporada foi representar Piracicaba nos Jogos Abertos do Interior. Na região do Grande ABC, o lutador encerrou a participação com o quarto lugar. “Vencer é sempre bom e claro que estou feliz com os resultados que tive no Brasileiro e nos Jogos do Paraná. Mas não é um ano que me deixou satisfeito, principalmente pelo número pequeno de lutas que fiz. Em 2018, a expectativa é participar de mais eventos”, declarou Jhonatan.

CURRÍCULO

Jhonatan começou no muay thai aos 6 anos, influenciado pelo pai, o treinador Wilson Teodoro, líder da equipe Company Top Fight. O início na luta foi apenas por hobby, mas, após uma passagem curta e sem sucesso pelo futebol, Jhow, como é chamado na equipe, voltou a lutar. Desta vez, com mais empenho. “Quando voltei, passei a treinar kickboxing também. Eu estava mais focado, passei a me dedicar mais ao esporte e comecei a competir aos 13 anos”, contou o atleta.

Aos 18 anos, na estreia da categoria adulta, o piracicabano encarou logo o Mundial da Wako (sigla em inglês para Associação das Organizações Mundiais de Kickboxing). Em Rimini, na Itália, o piracicabano trouxe o bronze na categoria 63,5 kg low kicks para casa. “Foi algo incrível, uma conquista de extrema importância em minha vida. O Mundial foi a primeira vez que saí do país, nunca tinha vivido isso. Fui sozinho, lutei e consegui o terceiro lugar, com 18 países na chave. Uma conquista excelente”, finalizou.

Início