Kickboxing

Isac fecha ano com prata no Sul-Americano

Jovem revelação do esporte local estreia em competições internacionais

Isac Lucca, atleta de kickboxing da equipe Brock Team Fighters
Isac Lucca conquistou a prata na primeira competição internacional que disputou (Foto: Líder Esportes)

Revelação do kickboxing local, o piracicabano Isac Lucca, de 14 anos, conquistou a medalha de prata na primeira competição internacional da carreira: o Campeonato Sul-Americano, realizado no início de dezembro, em Foz do Iguaçu (PR). O atleta da equipe Brock Team Fighters disputou duas categorias, ambas na divisão de peso 52 kg. Após três lutas, o melhor resultado veio na kick light, com o vice-campeonato em decisão dividida da arbitragem no Estado do Paraná.

“O retrospecto foi positivo, vi uma diferença interessante em relação às competições nacionais. Viajei treinado e acredito que tive um bom desempenho. Não conhecia os adversários de outros países, mas gostei do meu resultado. Eu sei que poderia ter sido campeão no kick light, tanto é que um dos árbitros apontou minha vitória na final, mas, aconteceu. Digamos que faltou pouco para chegar ao lugar mais alto do pódio”, afirmou o lutador piracicabano.

‘Vou continuar batalhando, sou novo e ainda vou chegar ao meu auge para conseguir o que não tenho agora’

O evento continental foi um marco na carreira do atleta. Isac garantiu que o nervosismo não o atrapalhou em Foz do Iguaçu. “Representar o país é uma sensação muito legal, que eu nunca tinha vivido. Eu estava tranquilo, foi a primeira vez que viajei de avião também. Na verdade, no avião eu fiquei mais nervoso (risos). É algo que eu nunca imaginei, mas que o esporte me deu. Por isso, vou continuar treinando no fim de ano, sem parar”, completou o atleta treinado pelo técnico Julio Costa.

O ano de 2017 foi bastante positivo para Isac. Na atual temporada, além da prata no Sul-Americano, ele venceu a Copa do Brasil, Campeonato Paulista e ainda saiu vitorioso nos eventos KFC e CFC Fight. “O ano foi muito bom, foram vários campeonatos que venci. Eu estou satisfeito, mas sei que preciso treinar mais para conseguir a vaga para o Pan-Americano e trazer o ouro para o Brasil. A experiência em Foz do Iguaçu vai me favorecer, são praticamente os mesmos lutadores, o estilo é parecido”, concluiu.

EXPERIÊNCIA

Na bagagem de volta a Piracicaba, Isac trouxe lições para a sequência da carreira. “Eu acho que tenho que focar, treinar bastante os chutes. Na próxima vez, vou lutar para não deixar a decisão na mão dos juízes (risos)”, afirmou a promessa, que teve ajuda de empresários e políticos para viajar. “É o meu sonho, vejo quanto meu pai vai atrás para me ajudar e conseguir ajuda. Claro que atrapalha a instabilidade, mas vou continuar, sou novo e ainda vou chegar ao meu auge para conseguir o que não tenho agora”, finalizou Isac.

Início