Ciclismo

Imparável, Novello aumenta coleção de medalhas

Piracicabano supera fratura, mudança de planejamento e é bronze no Paulista

Marcos Novello, ciclista da equipe Green Piracicaba
O ciclista Marcos Novello garantiu em São Carlos mais uma medalha para a coleção (Foto: Divulgação)

Não existe impossível para Marcos Novello. Mesmo sem as condições ideais por conta de um acidente na pré-temporada, o ciclista piracicabano estreou em 2016 com a medalha de bronze no Campeonato Paulista de Contrarrelógio, disputada no último sábado (16), em São Carlos. Campeão ano passado, Novello precisou mudar todo o planejamento após fraturar o punho esquerdo, o que o deixou afastado da bicicleta por 45 dias. O terceiro lugar coroa o trabalho de superação do atleta de 40 anos, que disputa a 24ª temporada da carreira.

A estratégia foi fundamental para Novello ficar com o bronze em São Carlos

“Foi uma prova difícil, estou feliz chegar ao pódio e quero seguir trabalhando agora para conseguir mais pódios ao longo do ano”, afirmou o ciclista ao canal Sprint TV. Novello analisou a prova realizada em São Carlos como “muito difícil” e citou as subidas e o vento como adversidades – inicialmente, a prova seria disputada em Araraquara, mas a FPC (Federação Paulista de Ciclismo) alterou o local. “Elaborei uma boa estratégia de treinamento, com muita intensidade”, comentou.

“A prova foi bem difícil, pois além do circuito ser desafiador, o vento trouxe uma dose extra de dificuldade. Fiquei feliz com o terceiro lugar”, disse o ciclista ao LÍDER nesta terça-feira (19). “Uma prova de contrarrelógio sempre é ‘complicada’, mesmo estando com todas as situações em ordem. Então, sem duvidas, o resultado me deixou feliz por saber que consegui, dentro do pouco tempo que tive, executar um bom trabalho”, completou o piracicabano.

PROJETO

Formado em educação física, o ciclista da equipe Green Piracicaba já pensa na carreira de técnico. O planejamento está avançado: Novello foi aprovado em concurso público e atualmente estuda o terceiro módulo do curso de capacitação de treinadores de alto rendimento da ABT (Academia Brasileira de Treinadores), programa que é desenvolvido pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro). A especialização tem duração de dois anos. Hoje, inclusive, é ele próprio que cuida da periodização de treinamento.

Início