Futebol

Fisioterapeuta do XV completa um mês na UTI

Marcella Damas segue internada em estado grave; família pede orações

Marcella Damas, fisioterapeuta das categorias de base do XV de Piracicaba
Marcella tem 28 anos e é fisioterapeuta da base do XV de Piracicaba (Foto: Eduardo Castellari/Divulgação)

A fisioterapeuta das categorias de base do XV de Piracicaba, Marcella Damas, completou nesta sexta-feira (5) um mês de internação em estado grave na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Unimed. A profissional tem 28 anos e sofreu dois AVCs (Acidente Vascular Cerebral) no início do mês passado. De acordo com o último boletim médico, a pressão é regular e a febre é baixa. O quadro neurológico, entretanto, segue sem apresentar evolução – Marcella Damas continua em coma e tem a recuperação vista como ‘improvável’ pelos médicos, segundo duas fontes ligadas à fisioterapeuta ouvidas pela reportagem.

O quadro de Marcella havia piorado sensivelmente entre os dias 15 e 18 de julho. Apesar de o eletroencefalograma detectar a existência de atividade cerebral, a profissional teve febre constante e acima de 39, 5 graus. A infecção urinária chegou a afetar os órgãos vitais, entre eles pulmão e rim, mas foi controlada – o antibiótico surtiu efeito. “Os dois AVCs causaram muitas lesões cerebrais, porém, como o cérebro ainda se encontra muito inchado, não dá para saber o grau das lesões e quais áreas foram afetadas”, disse à reportagem Sérgio Borin, namorado de Marcella e coordenador e professor do curso de especialização em fisioterapia desportiva da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba).

ORAÇÕES

Nas redes sociais, a família de Marcella pede apoio e orações. “O quadro de saúde ainda é gravíssimo, houve alterações na pressão e febre, mas com medicamentos isso foi normalizado. Hoje completa 30 dias que ela está lutando como guerreira pela vida, com dias de altos e baixos. O quadro continua grave estável, pressão boa e um pouco de febre. Deus cuidará de tudo”, escreveu Gilberto Damas, pai da fisioterapeuta. “Os médicos estão fazendo o impossível na medicina dos homens, mas temos que acreditar, temos que orar”, completou.

Início