Karatê

‘Ex-promessa’, Hernani tem evolução meteórica

Piracicabano acumula 15 títulos em 19 competições disputadas como sênior

Hernani Veríssimo, atleta de karatê de Piracicaba
Hernani Veríssimo, no pódio dos Jogos Mundiais: objetivo mais uma vez conquistado (Foto: WKF/Divulgação)

Atleta da seleção brasileira adulta há menos de dois anos, Hernani Veríssimo já deixou para trás o rótulo de revelação na categoria -75 kg. No período, o lutador soma 15 títulos, três vice-campeonatos e uma medalha de bronze nos últimos 19 eventos em que participou. A última conquista foi alcançada quarta-feira (26), na Polônia, com o terceiro lugar nos Jogos Mundiais. Na Europa, Hernani enfrentou adversários do porte do  egípcio Omar Abdel Rahman, atual vice-campeão do mundo, o experiente ucraniano Stanislav Horuna e o americano Thomas Scott, atual número um do mundo. Foram cinco lutas, três vitórias e duas derrotas, que renderam ao piracicabano a terceira colocação.

De acordo com a última atualização do ranking da WKF (sigla em inglês para Federação Mundial de Karatê), Hernani Veríssimo ocupa a décima colocação. A estreia em 2017 aconteceu no Campeonato Paulista, evento que rendeu ao atleta o primeiro título do ano. Em abril, o lutador piracicabano conquistou o segundo torneio oficial da temporada ao vencer o Aberto Internacional de Foz do Iguaçu, no Paraná. No mesmo mês, o lutador deu pistas de que seria o nome a bater na categoria -75 kg com o bicampeonato do Arnold Classic.

INTERNACIONAL

Os dois principais títulos conquistados pelo atleta neste ano vieram em maio e julho, respectivamente. Em Curaçao, no Caribe, Hernani faturou o bicampeonato pan-americano ao derrotar o colombiano Juan Landazuri pelo placar de 4×1 na decisão. A luta que mais chamou a atenção no Pan, entretanto, aconteceu nas quartas de final: o brasileiro perdia para o argentino Franco Recuoso quando faltavam apenas seis segundos para o encerramento, mas acertou um kizami que igualou o combate e garantiu a vitória no critério de desempate.

Após uma derrota sofrida na final da etapa zonal do Campeonato Brasileiro, Hernani voltou a brilhar no Campeonato Sul-Americano, em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. Foram quatro lutas e quatro vitórias para conquistar o bicampeonato individual. “São conquistas que me deixam muito feliz, em competições de alto nível. Não é fácil chegar aqui, sem patrocínio, juntando os recursos, contando com a ajuda de amigos, familiares e meu treinador (Diego Spigolon). São sacrifícios que faço para representar o país”, disse o atleta, que também foi campeão por equipes na Bolívia.

Início