Opinião

Equilíbrio

Após 11 dias sem partidas oficiais, o XV de Piracicaba voltará a campo na quinta-feira (11), diante do Água Santa, no estádio Barão da Serra Negra. Não se trata de uma decisão, tampouco de uma partida que ditará o futuro do Nhô Quim no Campeonato Paulista, mas vale três pontos extremamente importantes. Dentro de casa, contra um time estreante na Série A1, em um torneio de só 15 rodadas na primeira fase, não se pode deixar a vitória escapar. E, pelo discurso dos jogadores, percebe-se que eles pensam da mesma maneira.

A postura do Alvinegro, portanto, terá de ser diferente daquela apresentada na derrota por 1×0 para o Corinthians. Para o confronto de Itaquera, Claudinho Batista se preocupou com o sistema defensivo e armou a equipe para atuar na retranca, estratégia bem efetuada pelos atletas e que apenas não teve êxito devido ao gol de Romero nos acréscimos. No entanto, as circunstâncias do duelo desta semana exigem outro comportamento do XV, um ofensivo, que troque a marcação pelo controle de jogo.

O desempenho dos homens de frente precisará melhorar também. Na estreia, somente Rodrigo Silva cumpriu seu papel com qualidade no gramado do adversário. Aloísio, Henrique Santos e Diney não estiveram no mesmo ritmo. Eles ajudavam na defesa, mas não tinham o mesmo rendimento nas jogadas de ataque. Porém, a tendência é que isso mude se o Nhô Quim tiver o domínio da posse de bola, pois assim haverá mais tempo para os três trabalharem próximos à área do rival.

O Alvinegro, por outro lado, mostrou-se seguro defensivamente, tanto na primeira rodada do Paulistão como no último jogo-treino da pré-temporada, no empate sem gols com a Caldense-MG. Falta, então, encontrar um equilíbrio entre os dois setores para que o XV se consolide como um dos favoritos para se classificar à Série D do Campeonato Brasileiro.

Rodrigo Alonso é jornalista e cronista esportivo

Início