Karatê

Emocionada, Maria Eliza se despede de Piracicaba

Após três anos, atleta deixa a cidade e vai morar em São Paulo para estudar

Maria Eliza, atleta da equipe de karatê Sport Way
Maria Eliza, no treino da última quinta-feira (28): despedida será 'emocionante' (Foto: Líder Esportes)

Da menina calada que saiu de Goiânia aos 15 anos e viajou quase 800 km até chegar a Piracicaba, pouca coisa restou. Neste sábado (30), Maria Eliza encerra outro ciclo em sua carreira: já na maioridade, vai para São Paulo estudar arquitetura no Centro Universitário Belas Artes. A transformação vivida em Piracicaba, especificamente no karatê, é nítida. Maria Eliza deixa a cidade com o bicampeonato brasileiro, um título sul-americano e a participação no Mundial da Indonésia, no último mês de novembro, na categoria -55 kg.

Maria Eliza deixa a cidade com o bicampeonato brasileiro, um título sul-americano e a participação no Mundial da Indonésia

No treino da última quinta-feira (28), realizado na academia Sport Way, Maria Eliza já teve um ‘aperitivo’ da saudade que vai sentir quando embarcar definitivamente para a capital paulista. Após a atividade, o técnico Diego Spigolon reuniu todos os atletas e elogiou a karateca, que não conseguiu esconder os sentimentos. “Fiquei muito emocionada, sou muito emotiva. Acho que ‘lágrimas vão rolar’ quando eu sair (risos). Vou sentir muitas saudades, só tenho a agradecer tudo que fizeram por mim. Isso aqui vai fazer muita falta em minha vida”, disse a atleta ao LÍDER, após o treinamento. Na entrevista, ela contou sobre a própria transformação, a importância do esporte na sua trajetória e revelou os planos para o futuro. Confira:

AMADURECIMENTO

“Evoluí muito, não só como no karatê, mas como pessoa também. Vim para cá (Piracicaba) com muito medo. Nesses três anos aqui, mudei quatro ou cinco vezes de casa, é difícil ficar sozinha. Aprendi a me virar, treinar forte todo dia, enfim, todas as coisas que eu não estava acostumada a fazer sozinha. É muito difícil isso, mas cresci muito e isso refletiu no karatê, me deixou mais madura para enfrentar as dificuldades do esporte”.

CONQUISTAS

“Tudo o que vivi foi fundamental para o meu amadurecimento. O esporte tem altos e baixos, então acredito que você aprende a lidar com problemas de uma maneira mais fácil. Quando cheguei a Piracicaba, meu objetivo era ser campeã brasileira. E, logo no primeiro ano aqui, eu consegui. A partir disso, fui alimentando novos sonhos. E assim consegui ser campeã sul-americana, quase cheguei no Pan-americano e fui para o Mundial da Indonésia (2015). Foram grandes conquistas e que exigiram muita preparação. Sou muito feliz pelo que venci”.

FUTURO

“Eu sempre tive uma vida muito corrida, acho que a adaptação a São Paulo não será tão complicada. Vou continuar treinando o máximo que eu puder, continuar sendo uma atleta focada e determinada. E, se por alguma questão pessoal eu não conseguir ser uma atleta profissional do karatê, ainda assim o esporte sempre será uma grande paixão. Independente de onde eu estiver, vou representar Piracicaba. O Diego (Spigolon) sempre será meu mestre. A cidade faz parte da minha vida. Não tem como esquecer toda a história que eu vivi aqui”.

Início