Taekwondo

Educação, esporte e família: aposta no taekwondo

Empresário encontra na modalidade uma filosofia de vida e de educar os filhos

Enzo Otalara, aluno de taekwondo
Enzo tem 7 anos e já pratica o taekwondo: família aposta em esporte e educação (Foto: Líder Esportes)

O empresário Fabio Otalara, 42, é admirador confesso de artes marciais. No judô, chegou à faixa preta. Desde agosto do ano passado, busca outro desafio, na verdade uma antiga paixão: o taekwondo. No último domingo (17), Fabio participou do exame de faixas promovido pelo Centro de Alto Rendimento Dojan Nippon. O engenheiro civil – e agora faixa amarela e ponta verde de taekwondo – não esconde a empolgação com a modalidade.

“Eu acho o esporte muito bonito e, além disso, arte marcial não é só o preparo do corpo, tem uma doutrina moral também. O taekwondo tem cinco princípios fundamentais: cortesia, integridade, perseverança, autocontrole e espírito indomável. O ser humano precisa do preparo da mente e os princípios servem não apenas para o esporte, mas para a vida toda”, disse Fabio. A admiração pelo taekwondo é tanta que ele não mergulhou sozinho na arte marcial. O filho Enzo, de 7 anos, também pratica o esporte.

GRADUAÇÃO

Enzo também se graduou no último fim de semana e agora veste a faixa amarela. Fabio aposta no caráter educativo do esporte para a formação do filho e já aponta resultados. “O taekwondo contribui dia após dia. O que eu percebo é que o Enzo tem dado sinais de que não desiste fácil e faz planos, o que é desejável. Ele tem objetivos e a questão da competitividade fica mais aflorada. Isso leva você a querer mais do que tem. Quero estimular o comportamento de maneira saudável”, contou Fabio.

O exame de faixa inclui conceitos variados. Além do aspecto físico e técnico – alongamento, execução de movimentos e força muscular -, o examinado está sujeito a outras avaliações. “É sem dúvida uma forma de educação. Se não tiver o comportamento adequado, por exemplo, o aluno não está apto a mudar de faixa. Nós começamos juntos e isso serviu de exemplo para meu filho”, concluiu Fabio, antes de vestir o dobok e encarar mais um treino de taekwondo.

Enzo Otalara, aluno de taekwondo, ao lado do pai, o empresário Fabio Otalara

Enzo e o pai, o empresário Fabio: ‘Vejo mudanças no comportamento do meu filho’ (Foto: Líder Esportes)

Início