Futebol

Diretoria deve renunciar; Celso planeja volta

Rodrigo Boaventura e Renato Bonfíglio são alvos de protesto da torcida

Rodrigo Boaventura, presidente do XV de Piracicaba
Rodrigo Boaventura deve abrir mão da presidência do XV de Piracicaba (Foto: Eduardo Castellari)

Rodrigo Boaventura e Renato Bonfíglio devem renunciar aos cargos de presidente e vice do XV de Piracicaba. A decisão deve ser anunciada antes desta sexta-feira (29), quando acontece reunião do Conselho Deliberativo. A dupla é alvo de protestos de torcedores, que enxergam os cartolas como principais responsáveis pelo rebaixamento do time piracicabano para a Série A2 do Campeonato Paulista – Bonfíglio acumula ainda o cargo de diretor de futebol.

Cléber Gaúcho é o nome mais cotado para dirigir o XV de Piracicaba na Copa Paulista

Jonas Parisotto e José Antonio do Amaral Caprânico, presidente e vice do Conselho Deliberativo, assumem os cargos temporariamente – o estatuto do clube indica que, com mais de 60 dias para o término do mandato da diretoria, a cúpula do conselho é responsável pela transição e deve convocar eleições. O empresário Celso Christofoletti, mandatário do XV entre 2013 e 2014, deve apresentar candidatura para voltar ao posto caso não haja oposição – atual diretor-tesoureiro, Ricardo Moura é cotado para compor a chapa ao lado do empresário.

A saída de Rodrigo Boaventura e Renato Bonfíglio é cobrada pelos torcedores desde o empate por 1×1 contra o Oeste, na última rodada da primeira fase, que decretou o rebaixamento para a Série A2 do Campeonato Paulista e a perda da cota de televisão para 2017 – cerca de R$ 2 milhões. Na volta de Itápolis, cerca de 15 pessoas quebraram a porta e invadiram o vestiário do Barão da Serra Negra. Além da porta, um bebedouro foi danificado e paredes foram pichadas com frases contra Renato Bonfíglio. As fotos dos jogadores nos armários também foram rabiscadas – a Polícia Militar prendeu o torcedor que quebrou a porta.

Na mesma semana, 50 torcedores participaram de um protesto contra a diretoria. A manifestação foi realizada em frente ao estádio municipal. “A ideia é mostrar toda a revolta da torcida. Faz anos que o XV é amador no futebol, aliás, não lembro quando foi profissional da última vez. Melhorou muito na gestão administrativa, marketing. Porque não fazer o mesmo com o futebol? Não adianta dizer que as contas estão em dia. Isso é obrigação. Faz mais de uma década que o cara (Renato Bonfíglio) está no clube. Queremos alguém profissional e experiente”, disse o torcedor Bruno de Luca.

No último sábado (24), quando as categorias sub-15 e sub-17 jogam contra o Amparo pelo Campeonato Paulista, os torcedores recolheram assinaturas de sócios para abertura de assembleia de associados, órgão que pode destituir a diretoria. “Caso os associados se reúnam em grupo e entrem com pedido, temos que apreciá-lo. Eles (associados) precisam de um pedido, apontando quais falhas existiram para que o pedido seja bem fundamentado”, explicou Parisotto.

Início