Ginástica Artística

Diogo Brajão muda de categoria e vira prioridade

Atleta da equipe piracicabana passa para classe juvenil e busca vaga na seleção

Diogo Brajão, atleta de ginástica artística de Piracicaba
Aos 13 anos de idade, Diogo Brajão é a principal promessa da ginástica local (Foto: Líder Esportes)

O foco da equipe piracicaba de ginástica artística está em Diogo Brajão, segundo o técnico do grupo, Daniel Biscalchin. Neste ano, o atleta da academia Pira Olímpica passou para a classe juvenil (14 a 17 anos) e, consequentemente, disputará o Campeonato Brasileiro da categoria pela primeira vez. O torneio acontecerá entre os dias 7 e 11 de setembro, ainda sem local definido, e vale vaga na seleção nacional.

Brajão se prepara para o Campeonato Brasileiro, que será realizado no mês de setembro

Brajão já venceu o Brasileiro pelas classes pré-infantil e infantil. No entanto, de acordo com Biscalchin, ele encontrará mais obstáculos na competição desta temporada e, portanto, um vice-campeonato ou uma medalha de bronze também seriam comemorados pela equipe. “Já fica mais difícil para ele. A meta é que ele vá bem, fique entre os três melhores e consiga uma vaga na seleção juvenil, o que é bem mais difícil”, disse.

O treinador destacou que, caso Brajão não consiga se classificar para a seleção, haverá outras oportunidades para que isso ocorra. “É claro que ele tem quatro anos para isso. Mas, se ele conseguir desde o começo, é bem melhor”, afirmou. Com títulos sul-americanos na carreira, o ginasta de 13 anos sonha com os Jogos Olímpicos de 2020, que serão realizados em Tóquio, no Japão – o piracicabano completará 14 anos em abril.

EQUIPE

Os demais integrantes da Pira Olímpica se preparam exclusivamente para os Jogos Regionais e os Abertos do Interior, nos quais representam o município de Piracicaba. Para os Abertos do Interior, Biscalchin preencherá o grupo com atletas de fora da cidade. “São Paulo fica fora dos Jogos. Por ser capital, não participa. Então sobram alguns atletas. Como tenho bastante contato com o pessoal, posso chamá-los para completar a nossa equipe”, informou o técnico.

A equipe, inclusive, contou com ginastas da capital paulista nas últimas edições do evento. “Alguns deles já competem há dois ou três anos conosco. São sempre os mesmos que pegamos”, contou Biscalchin, que ainda espera por uma confirmação de que arbitrará nas Olimpíadas do Rio de Janeiro – ele está cotado para ser um dos juízes do certame.

Início