Opinião

De quem é a culpa pela eliminação na Série D?

*Capa: XV de Piracicaba/Divulgação

A eliminação do XV de Piracicaba na primeira fase da Série D do Campeonato Brasileiro foi algo decepcionante, principalmente pelas expectativas criadas sobre a equipe. Com folha salarial próxima dos R$ 300 mil, incluindo jogadores e comissão técnica, o Alvinegro era a equipe com mais investimento em seu grupo. Quando as coisas não dão certo, sempre queremos achar os culpados, então vamos analisar alguns fatores.

A diretoria errou em algumas situações referentes a contratações. Não venham me dizer que sabiam sobre o caso Alex Willian, pois na sexta-feira, dia 12 de maio, uma semana antes da estreia do XV na competição, o jogador ainda treinava entre os titulares. Eu assisti o treino neste dia e tudo que o treinador testou, colocou em prática no jogo contra o São Paulo-RS. Em nenhum momento, Alex Willian deixou o treino. O jogador foi apresentado na semana seguinte e nada foi abordado sobre sua possível ausência.

Márcio Fernandes descobriu em cima da hora que não poderia contar com o jogador, isso ficou claro em suas entrevistas. Depois, disseram que já sabiam, que ele não receberia neste período. Legal, tentaram corrigir o erro. E porque não foram buscar outro jogador? Porque acreditavam que o time passaria de fase e não era necessário trazer outro, o que geraria mais custos ao clube.

Quando o Serginho foi contratado, Márcio Fernandes disse em coletiva que a diretoria sabia que ele tinha uma proposta e poderia sair, mas que era difícil de acontecer. Optaram por correr o risco sem ter um plano B. O jogador fez muita falta contra o Operário-PR. A meu ver, essa é a parte que cabe à diretoria em relação aos erros. Continuo com a mesma opinião: foi montado um bom time para a competição, mas não adianta contratar e não pôr para jogar. Agora, vamos discutir sobre os erros que cabem ao treinador.

Márcio Fernandes disse em sua apresentação que todos os jogadores contratados a partir de sua chegada teriam seu aval. Então, quem é o responsável pela montagem do elenco? Quem pediu a contratação de Robston, que estava aposentado? Quem é o responsável por mandar a campo contra o Operário-PR, um time titular montado com nove jogadores que quase foram rebaixados para a Série A3? Porque tantas improvisações na equipe?

Dizer que o time era ruim, porque não classificou, é muito fácil. Eu prefiro dizer que o time foi incompetente. Foram nove pontos conquistados. O segundo colocado do grupo somou dez. O Campinense-PB se classificou com oito pontos. O Alvinegro teve inúmeras chances de vencer mais jogos, mas até a quinta rodada havia marcado apenas três gols. Fora de casa contra Brusque-SC e Operário-PR, os goleiros adversários foram os melhores em campo.

E quem tem que ser cobrado pelos gols perdidos? Os jogadores. A classificação esteve nas mãos do XV o tempo todo, mas a falta de competência na hora das finalizações foi decisiva. Se no futebol, quando ganha, ganha todo mundo, então quando perde a culpa também é de todo mundo. Alguns mais e outros menos, cada analista que distribua as parcelas de responsabilidade. Quem mais perdeu com isso tudo é o torcedor, que novamente terá que ver o time disputando a Copa Paulista, desta vez, um pouco mais deficitária ao XV, já que na primeira fase os custos com logística serão maiores.

Marcelo Sá é radialista e jornalista na Rádio Jovem Pan News Piracicaba

Início