Corpo & Mente

Como estabelecer metas? Parte 2

Motivação & Metas - Cassiano de Santis

Compreender a importância de ter as próprias metas e os critérios fundamentais para estabelecê-las aumenta consideravelmente as chances de um atleta ou entusiasta alcançar seus objetivos: fornece indicadores periódicos da evolução dos treinos, além de ajudar a manter a motivação para dar os próximos passos. Na busca por um objetivo, também pode ser bastante útil diferenciar os tipos de metas que podem ser aplicadas a um planejamento.

A motivação é a chave para alcançar um objetivo, ou mesmo um sonho

Quando pensa numa conquista para almejar num prazo curto, a maioria das pessoas imagina um resultado para sua dedicação: vencer uma prova, conquistar um lugar na equipe principal, emagrecer dois quilos. Por isso, estas são chamadas de metas de resultado, e tendem a ser bastante motivadoras para quem as estabelece, por estarem associadas ao objetivo final – que pode ser vencer um campeonato ou perder 20 quilos.

Essas metas, porém, apresentam uma limitação importante: o resultado a ser medido não depende apenas da própria pessoa. Por mais que esta se esforce, um jogador pode perder posição para um colega de equipe, e um corredor, em sua melhor marca pessoal, pode chegar em segundo numa prova que esperava vencer. Em relação ao emagrecimento, variáveis complexas como ganho e perda de massa magra ou líquidos podem distorcer os reais progressos.

Por isso, a alternativa é trabalhar também com metas de desempenho. Elas descrevem os progressos de um futuro próximo em termos de ações e performance dos praticantes, independentemente de resultados finais. Atingir um ritmo melhor numa prova de 15 km, acertar 90% dos lances livres num treino de basquete ou passar a caminhar por 30 minutos em três dias na semana são exemplos de metas que não dependem de circunstâncias externas ao próprio comportamento.

COMBINAÇÃO

Ambos os tipos possuem prós e contras, e o ideal é combiná-los. Se metas de resultados pecam por não dependerem apenas da própria pessoa ou atleta, metas de desempenho podem ser pouco motivadoras em relação às primeiras. Por isso, trabalhar com metas de desempenho em curto prazo – por exemplo, quinzenas – e de resultados em prazos maiores – bimestres ou semestres – produz efeitos mais interessantes.

Note que metas de desempenho podem, naturalmente, ajudar a alcançar metas de resultados – melhorar o aproveitamento nos passes deve fazer com que um jogador alcance uma vaga no time titular e possivelmente ganhe campeonatos. A motivação é a chave para alcançar um objetivo, ou mesmo um sonho; por isso, devemos dedicar a ela o mesmo cuidado que damos aos treinos e à alimentação. O trabalho com metas, de forma inteligente e consistente, é um dos melhores combustíveis que a motivação pode receber.

Cassiano de Santis é psicólogo com formação em Terapia por Contingências de Reforçamento

Início