Voleibol

Campeão olímpico ensina vôlei em Piracicaba

Aulas são gratuitas e começam dia 20; podem participar jovens de 11 a 15 anos

Chico dos Santos, treinador de vôlei da equipe masculina da Apiv
Chico dos Santos está confiante no trabalho a ser realizado em Piracicaba (Foto: Líder Esportes/Orientec)

A Apiv/Selam dá início no dia 20 de março ao Projeto Amigos do Voleibol, iniciativa que busca encontrar meninos e meninas com idade entre 11 e 15 anos dispostos a conhecer o esporte. As atividades acontecem de segunda a sexta-feira no Ginásio da Pauliceia. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas na secretaria da Escola Dario Brasil (rua Dona Aurora, 416, Pauliceia) ou pelo telefone (19) 9.9781-7850. O trabalho é conduzido pelos técnicos Zeca e Chico Santos, braço direito de Bernardinho nas conquistas de oito Ligas Mundiais, três Campeonatos do Mundo e o histórico ouro olímpico de 2004, em Atenas, pela seleção brasileira masculina.

“Nosso objetivo agora é a massificação, buscamos jogadores em quantidade. Com o tempo, você faz um trabalho de qualificação. Nossa ideia inicial é trabalhar em cima de quantidade e, a partir do ano que vem, fazer uma seleção dos melhores atletas pensando na continuidade do trabalho”, afirmou Chico. De acordo com o campeão olímpico, o foco é aumentar os polos na cidade. “Nós queremos colocar mais pessoas para trabalhar, professores que possam ajudar a aumentar a busca pelos novos talentos”, completou.

HORÁRIOS

As atividades serão realizadas inicialmente no Ginásio da Pauliceia. As turmas masculinas treinam de segunda e quarta-feira pela manhã, das 10h às 12h, e de terça e quinta-feira pela tarde, das 16h às 18h. Para as meninas, as aulas acontecem pela manhã todas as terças e quintas-feiras, das 10h às 12h, e no período da tarde, às quartas e sextas-feiras, das 16h às 18h. Não é necessário ter experiência para participar do projeto. De Piracicaba, saíram nomes como Regiane Bidias, jogadora heptacampeã da Superliga pelo Rio de Janeiro, e Leia Henrique, líbero da seleção brasileira.

“Além dos núcleos, nós vamos, ao mesmo tempo, buscar mais técnicos. A massificação não é demorada, é um processo rápido, coisa de três meses para colocar muitas crianças na quadra. A qualificação é uma etapa mais lenta. Hoje, a média é de que a cada um milhão de candidatos, sai um atleta do mais alto nível. É claro que nós vamos encontrar jogadores de bom potencial, mas queremos formar atletas de primeiro nível, como é o caso da Regiane e da Leia. A hora é de trabalhar”, finalizou Chico.

Início