Tênis de Mesa

Camargo é acusado de esquema de favorecimento

Atleta questiona relações financeiras e CBTM; Fran TT nega e lamenta postura

Claudio Massad, mesatenista
Cláudio Massad quer a vaga para disputar a Paralimpíada no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação)

O mesatenista paralímpico Cláudio Massad entrou com uma ação de obrigação de fazer contra a CBTM (Confederação Brasileira de Tênis de Mesa), na última quinta-feira (24), na 1ª Vara Cível da Comarca do Rio de Janeiro, alegando irregularidades na convocação de Diego Moreira, atleta da equipe Fran TT, de Piracicaba. Massad, que é de Bauru e disputa a classe 10, reclama da falta de objetividade e levanta a suspeita de que a convocatória estaria comprometida por uma relação financeira entre Moreira e Paulo Camargo, técnico da seleção brasileira paralímpica andante e da Fran TT.

Em nota, a Fran TT disse que não foi o técnico Paulo Camargo que fez a convocação

Ao contrário do critério adotado para convocar a seleção olímpica, CBTM não levou em consideração os resultados e a performance de cada atleta para a convocatória da seleção paralímpica – manobra apontada como “tendenciosa” por Massad. No ranking mundial, o mesatenista de Bauru (23º) leva vantagem sobre Moreira (31º). Em nota, a CBTM justificou a convocação de Moreira porque ele teria melhor “rendimento durante os treinos, percepção e visão de jogo, prospecção de futuro e boa aplicação da tática e da técnica”.

Massad foi medalha de prata na classe 10 individual no Pan de 2015. Em Toronto, ele também foi ouro na classe 9/10 ao lado de Carlos Carbinatti. A divergência com Paulo Camargo, segundo Massad, começou ainda no Canadá. “Quando acabou o Pan, no dia seguinte fui conversar com o Paulo Camargo sobre as paralimpíadas e dizer que eu buscaria a vaga.  Ele simplesmente me disse que já tinha as preferências dele”, afirmou o mesatenista de Bauru.

O mesatenista suspeita que a convocação de Moreira tem relação com a remuneração de uma mensalidade que os atletas que treinam em Piracicaba pagam a Camargo – a Fran TT é responsável pelo Projeto Paralímpico Andantes, cujos atletas formam a seleção brasileira permanente, que treina e reside na cidade. LÍDER teve acesso ao documento assinado por Moreira, que diz fazer o pagamento de “livre e espontânea vontade” ao treinador pela “dedicação e profissionalismo nos treinos diários”.

Claudio Massad, atleta paralímpico de tênis de mesa processa a Fran TT

Documento confirma que atletas pagam mensalidade a Camargo: Massad vê irregularidade (Arte: Líder Esportes)

“O atleta que foi convocado está atrás de mim (no ranking) e paga uma mensalidade para o técnico de Piracicaba e da seleção brasileira Paulo Camargo. Não tinham critérios objetivos. Eu só quero a vaga, que é uma conquista minha, da minha família, da minha equipe e da minha cidade”, disse Massad. “Como um técnico pode tomar decisões antes de fechar o ciclo paralímpico com eventos que contam pontos para as Paralimpíadas? Não tem explicação. E o técnico já recebe salário para desempenhar o trabalho. Porque os atletas que também recebem salários ou bolsas do governo federal têm que pagar mais uma quantia ao técnico?”, questionou.

O tênis de mesa paralímpico é dividido em 11 classes – de 1 a 5 cadeirantes, de 6 a 10 andantes e 11 deficientes intelectuais. Nas Paralimpíadas, o torneio de equipes andantes é dividido em duas categorias: 6/ 8 e classes 9/10. A reivindicação de Massad é pelo Wild Card para fazer dupla com Carbinatti. “Além de tudo, os confrontos são definidos pela média de pontuação das equipes, ou seja, equipes com média alta pegam equipes ‘mais fracas’ na primeira rodada. A formação Diego e Carbinatti teria uma média bem menor do que a minha e o Carbinatti, o que seria consideravelmente favorável ao Brasil”, concluiu o atleta.

RESPOSTA

Em nota, a coordenadora do Centro de Alto Rendimento Fran TT, Francine de Camargo Mendes, informou que o técnico Paulo Camargo está em Luxemburgo e acompanha atletas da seleção paralímpica em competição internacional. “Sobre a denúncia que o atleta Claudio Massad está fazendo, não tivemos acesso ao processo. Mas tenho certeza de que se trata de uma acusação leviana, já que o próprio atleta Massad foi convocado para disputar o Pan, em Toronto, pelo mesmo sistema de indicação técnica que ele está questionando agora”, disse.

“A responsabilidade sobre a convocação é da CBTM e a convocação foi realizada por uma equipe técnica: gerência geral de operações, validação do comitê executivo, consulta à comissão técnica e validação pelos consultores internacionais. Não foi o técnico Paulo Camargo que fez a convocação. Temos orgulho de ter o técnico Paulo Camargo em nossa entidade, já que se trata de um profissional com caráter indiscutível. E lamentamos o posicionamento do atleta Claudio Massad sobre o assunto”, completou Francine.

Diego Moreira, paratleta da equipe de tênis de mesa Fran TT

Diego Moreira é paratleta da equipe de tênis de mesa Fran TT; Massad denuncia convocação (Foto: Divulgação)

Início