Opinião

Caiu a invencibilidade

*Capa: Mauricio Bento/Líder Esportes

Em algum momento, a invencibilidade do XV de Piracicaba iria acabar. E acabou. O que ninguém esperava, era que isso aconteceria para o time juvenil do São Paulo. Foram mais de 60 dias invicto, um total de dez jogos, e uma campanha que chamou a atenção de todos, em especial do torcedor, que compareceu em bom número ao Barão da Serra Negra. O futebol apresentado na noite de quarta-feira (27) não mereceu ser aplaudido, e não poderia ser diferente. Pela experiência e qualidade do elenco, o Alvinegro tinha a obrigação de vencer o Tricolor. Porém, a derrota não é motivo para caça às bruxas.

Ao término do jogo, entrevistei o lateral-esquerdo Samuel, que disse: “Futebol é assim mesmo. Quando está ganhando, está tudo ótimo; quando perde, ninguém serve mais”. Fica claro que o jogador ouviu algo vindo da arquibancada que o incomodou muito. Quem vai ao estádio quer ver o time vencer, quer ver o adversário ser pressionado, e isso não aconteceu. O que se viu foi um time experiente que caiu na catimba de um time juvenil. O XV pouco chutou ao gol. São três jogos seguidos em Piracicaba que o time não vence. Por mais que a campanha seja melhor que a esperada, alguns torcedores que pagaram ingresso vão reclamar. É algo natural.

Com relação à equipe titular, creio que algumas situações merecem ser revistas. Não vejo necessidade de improvisar o Rodrigo como volante, tendo Gilson à disposição. Não que ele tenha comprometido, mas não é a dele. Por mais que ele esteja bem condicionado, um volante é acostumado a correr mais que um zagueiro. Concordo com Evaristo Piza quando diz que precisa manter o Alex Willian no time para ganhar ritmo de jogo. É um jogador de qualidade, que será importante na Série A2, e que quase não jogou em 2017. Ritmo de jogo só se adquire jogando. É preciso um pouco de paciência, mas também atenção às pretensões no campeonato.

Com poucos ajustes, o XV deve voltar a vencer. Tem elenco para isso. O próprio Samuel chamou atenção para os erros cometidos: “Não podemos tomar esses gols bobos que tomamos e perder o tanto de gols que a gente perde”. Perder nunca é bom, mas você aprende mais do que nas vitórias. Hora de corrigir os erros e recuperar os pontos contra a Portuguesa.

Marcelo Sá é radialista e jornalista na Rádio Jovem Pan News Piracicaba

Início