Futebol

Boaventura pede 30 dias para deixar o clube

Conselheiros não aprovam proposta; reunião 'continua' na terça-feira (3)

Rodrigo Boaventura, presidente do XV de Piracicaba
Rodrigo Boaventura vive os últimos dias como presidente do XV de Piracicaba (Foto: Líder Esportes)

Rodrigo Boaventura queria 30 dias para deixar a presidência do XV de Piracicaba, mas o Conselho Deliberativo não vai aceitar o pedido. A proposta foi feita na noite desta sexta-feira (29), em reunião realizada na sala de imprensa do estádio Barão da Serra Negra – foram mais de três horas de debate. O mandatário justificou que o prazo solicitado seria aproveitado para resolver ‘pendências’ antes de entregar o cargo. O vice, Renato Bonfíglio, que acumula o cargo de diretor de futebol, atendeu o pedido do presidente e não compareceu ao encontro – o empresário Celso Christofoletti, que aparece como provável sucessor à presidência, também não participou da reunião.

O conselho se reúne novamente na próxima terça-feira para definir a mudança na diretoria

A solicitação de Boaventura não agradou os conselheiros, que não devem aprovar a proposta. A reunião foi suspensa às 22h15, mas outro encontro está marcado para próxima terça-feira (3). Além da destituição da diretoria, a reforma do estatuto deve ser discutida na ocasião. Apesar da saída iminente, a atual direção deixou encaminhado o retorno do Cléber Gaúcho, que deve dirigir o XV de Piracicaba na Copa Paulista. O treinador comandou o União Barbarense durante a Série A2 do Campeonato Paulista e tem acordo verbal para voltar ao clube. O acerto ainda não foi divulgado por conta da possibilidade de destituição da diretoria.

A saída de Rodrigo Boaventura e Renato Bonfíglio é cobrada pelos torcedores desde o empate por 1×1 contra o Oeste, na última rodada da primeira fase, que decretou o rebaixamento para a Série A2 do Campeonato Paulista e a perda da cota de televisão para 2017 – cerca de R$ 2 milhões. Na volta de Itápolis, cerca de 15 pessoas invadiram o vestiário principal do Barão da Serra Negra. Além de quebrar a porta de entrada, um bebedouro foi danificado e paredes foram pichadas com frases contra Bonfíglio. As fotos dos jogadores nos armários também foram rabiscadas – a Polícia Militar prendeu o torcedor que quebrou a porta, mas ele foi liberado mediante pagamento de fiança no valor de R$ 2 mil.

Na mesma semana, 50 torcedores participaram de um protesto contra a diretoria. A manifestação foi realizada em frente ao estádio municipal. No último sábado (24), quando as categorias sub-15 e sub-17 jogam contra o Amparo pelo Campeonato Paulista, os torcedores recolheram assinaturas de sócios para abertura de assembleia de associados, órgão que pode destituir a diretoria. “Caso os associados se reúnam em grupo e entrem com pedido, temos que apreciá-lo. Eles (associados) precisam de um pedido, apontando quais falhas existiram para que o pedido seja bem fundamentado”, explicou Parisotto.

Rodrigo Boaventura, presidente da diretoria executiva, ao lado de Jonas Parisotto, presidente do Conselho Deliberativo do XV de Piracicaba

Boaventura dividiu a mesa com Jonas Parisotto, presidente do Conselho Deliberativo (Foto: Líder Esportes)

Início