Handebol

Batista destaca capacidade de superação do 15

Com elenco reduzido, treinador faz ajustes visando a estreia na temporada

José Batista, técnico do time de handebol 15 de Piracicaba
José Batista pede foco aos atletas para repetir boa campanha (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

O handebol adulto da Associação Desportiva 15 de Piracicaba está em fase de ajustes para o início da temporada. Em abril, as equipes feminina e masculina estreiam na Lhesp (Liga de Handebol do Estado de São Paulo). A tabela ainda não foi oficializada, porém, o objetivo é claro para o técnico José Batista: buscar o título que escapou nas duas competições em 2016. Com o elenco reduzido devido às condições financeiras, o treinador aposta no trabalho realizado com as categorias de base e no recrutamento de jogadores que estavam sem clube. Não há segredo: a receita para brigar pelo título é o empenho do grupo.

“No time feminino, a dificuldade foi menor: perdemos algumas atletas, mas conseguimos recompor com as categorias de base. No masculino, nós perdemos seis jogadores titulares que receberam propostas de outras equipes e tivemos recrutar atletas que estavam parados”, contou Batista. A equipe, que treina no Ginásio de Esportes do Parque Prezotto, segue em pré-temporada com o início dos trabalhos técnicos e táticos. A Lhesp é encarada pelo 15 de Piracicaba como preparatório para os Jogos Regionais e Jogos Abertos do Interior, as duas prioridades da equipe em 2017.

No treino do time feminino realizado nesta quarta-feira, Batista conversou com as jogadores cerca de 15 minutos

“A Liga é o primeiro campeonato que a gente disputa, porém, a prioridade para nós se divide entre os Jogos Regionais e Jogos Abertos do Interior. No ano passado, perdemos a decisão no feminino e no masculino, mas devido às circunstâncias, dá para afirmar que fizemos uma excelente campanha. Agora, o objetivo é repetir o desempenho, independente das mudanças no elenco”, disse o técnico. Perguntado sobre o método de trabalho e a forma como conduz o aspecto psicológico do grupo, Batista ressalta a capacidade de reação das equipes que comanda.

“Em 2016, o time feminino fez uma boa preparação, faltaram detalhes para conseguimos o objetivo, que era vencer Jogos Abertos e Lhesp. Em ambos, perdemos para Sorocaba. O time, porém, era imaturo, pecava na questão psicológica. Neste ano, estamos focando nisso, no amadurecimento em quadra. Na equipe masculina, o ano passado apresentou uma dificuldade muito grande: como os Jogos Regionais foram cancelados, quatro jogadores saíram porque receberam propostas para disputar a Liga Nacional. Foi uma surpresa muito grande a capacidade de superação. Fomos vice dos Abertos, resultado inédito para Piracicaba no adulto. A dificuldade sempre vai existir, mas o elenco é experiente e acho que vamos render bem”, afirmou.

ESTUDO

No treino do time feminino realizado nesta quarta-feira (15), Batista conversou com as jogadores cerca de 15 minutos antes de encerrar as atividades. No papo, o comandante insistiu no pedido para o grupo manter o foco. “Sempre falo que a gente tem que estudar e no handebol não é diferente. Eu sempre friso que eles precisam estudar o handebol e isso não é treinar duas, três ou quatro horas na quadra. É analisar vídeo, saber como se desenvolvem as referências do esporte. Não quero que ninguém fique 24 horas por dia com o handebol na cabeça, mas é importante pensar no esporte fora de quadra”, completou o treinador. (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Início