Basquete

Basquete adulto local completa 4 meses ‘parado’

Encerramento definitivo das atividades não é descartado pelo XV de Piracicaba

Douglas Gorauskas, pivô da equipe masculina de basquete do XV de Piracicaba
O pivô Gorauskas encontrou no Uber uma alternativa para a crise do esporte (Foto: Mauricio Bento/Líder Esportes)

O basquete adulto de Piracicaba completa em outubro quatro meses de inatividade. De lá para cá, as equipes feminina e masculina do XV de Piracicaba figuram apenas no papel. Na quadra, o trabalho foi interrompido em junho. Não há previsão de retorno e, conforme apurou a reportagem, o encerramento das atividades não está descartado. A diretoria da Associação de Basquetebol XV de Piracicaba procura alternativas, mas é provável que a cidade não tenha representante no basquete nos Jogos Abertos do Interior, em novembro.

A crise do esporte amador em Piracicaba se deve ao congelamento da verba repassada anualmente pela Selam (Secretaria de Esportes, Lazer e Atividades Motoras). Em janeiro, entrou em vigor o marco regulatório do terceiro setor (Lei Federal 13.019/2014), que prevê chamamento público. O ‘desfalque’ financeiro levou alguns atletas a procurar soluções alternativas para se sustentar. O pivô Douglas Gorauskas, por exemplo, trabalhou como motorista de Uber.

As entidades locais dependem da parceria com a Selam para pagar os esportistas. Atletas, dirigentes e treinadores estão desde o início de 2017 sem ‘salários’. A única categoria do basquete piracicabano em atividade é a masculina sub-19, que disputa atualmente a Série Bronze do Campeonato Paulista. Em sete jogos, o XV de Piracicaba soma dez pontos, com três vitórias e quatro derrotas. Classificado, o Alvinegro divide a terceira colocação do Grupo D. O próximo compromisso acontece dia 16, contra São Caetano, no Ginásio Municipal Waldemar Blatkauskas.

Início