Atletismo

Base dá resultados e mostra ‘caminho’ para 2017

Piracicaba aposta no trabalho de formação e revela promessas na modalidade

Helen Cristina Lopes Roque, atleta de heptatlo e atletismo de Piracicaba
O objetivo em 2017 é novamente apostar no trabalho de base (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Com investimento voltado para as divisões de base, o atletismo de Piracicaba termina o ano com balanço positivo no que diz respeito às conquistas em 2016. A equipe Rezende/Unimep/Selam, que iniciou 2016 com cerca de 50 representantes em suas diferentes modalidades – arremessos, fundo, meio-fundo, saltos e velocidade -, abriu a temporada em Campinas, durante o 2º Campeonato FPA de Atletismo. Logo na primeira prova do ano, Vitor dos Reis Negrisoli conseguiu superar a marca de 5,88 m registrada no fim de 2015 no salto em distância. Em Campinas, ele alcançou 6,06 m. Nos 100 m livres, Yasmin da Cruz baixou o tempo dela de 13s para 12s69 (recorde pessoal).

No Estadual adulto, o grupo viajou com sete atletas, todas mulheres, e ficou em sexto lugar

Na segunda etapa do Circuito Estadual Sesi FPA (Federação Paulista de Atletismo), foram mais cinco medalhas alcançadas competindo em casa, no Sesi Mario Dedini, em Piracicaba. O destaque foi mais uma vez Vitor dos Reis Negrisoli, ouro na prova dos 300 m com barreiras. O bom trabalho da comissão técnica, liderada pela treinadora Mazé Ferreira, trouxe mais um resultado favorável na metade do ano, quando, pela primeira vez na história, a seleção piracicabana de atletismo conseguiu classificar 28 atletas para a final estadual dos Jogos Abertos da Juventude.

No Estadual adulto, o grupo piracicabano viajou com sete atletas, todas mulheres, e ficou em sexto lugar na classificação geral. “Em 2015, fomos com uma equipe enorme, pois tínhamos bastante atletas contratados para temporada, mas, dentro da nossa expectativa para 2016, ficamos acima do que esperávamos”, disse a técnica. O destaque da equipe foi Angélica Scavassa, que conquistou a medalha de ouro no heptatlo – a francesa Mveh Viviane, que ficou com a terceira colocação geral do lançamento do martelo, foi outra medalhista de Piracicaba.

RESULTADOS

Para alguns atletas rezendinos, 2016 foi mais do que especial. Aos 35 anos e com três cirurgias, a última delas no tendão de Aquiles, Maíla Machado conquistou o índice para disputar os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. A vaga veio na prova dos 100 m com barreiras, durante o Campeonato Ibero-Americano, que aconteceu no Estádio Olímpico Nilton Santos, o Engenhão. Maíla também brilhou na 35ª edição do Troféu Brasil de Atletismo, maior evento da modalidade no país, realizada na cidade de São Bernardo do Campo – ela venceu a prova dos 100 m com barreiras atingindo a marca de 12s89.

Cinco anos mais novo que Maíla, Romenigue Oliveira Santos encerrou aquela que pode ser considerada a melhor temporada da carreira. No atletismo desde 1997, mas ‘federado’ apenas em 2000, Romenigue venceu as quatro competições que disputou neste ano: Jogos Regionais e Jogos Abertos do Interior pela equipe Rezende/Unimep/Selam; além dos títulos individuais estadual e brasileiro na categoria máster. “O ano foi ótimo, ganhei o que disputei e alcancei os principais objetivos. É o melhor momento em 16 anos de carreira”, finalizou.

Início