Opinião

Arquibancada Líder

Destaque nos últimos anos e considerado exemplo na montagem de equipes no interior paulista, o Mogi Mirim vive um momento de baixa. Após passar por uma grave crise financeira, Rivaldo decidiu vender o clube, do qual era dono desde de 2008. A equipe, então, foi rebaixada na Série B do Brasileiro. Antes mesmo do fim do campeonato, praticamente todo o elenco foi desmontado e Toninho Cecílio foi o escolhido para preparar o time para o Paulistão.

Nas duas primeiras partidas, o treinador manteve praticamente a mesma equipe, colocando apenas o zagueiro Bruno Costa no lugar de Paulão no segundo compromisso. A estratégia com três volantes (Josa, Bruninho e Wendell) não deu certo e o Sapão perdeu as duas partidas para Osasco Audax e Ferroviária. Isso tem preocupado Toninho Cecílio, que provavelmente fará algumas alterações para enfrentar o XV de Piracicaba.

A principal mudança deve ser a troca do esquema tático, com a entrada de um meia mais criativo no lugar de um dos volantes. Lulinha, campeão da última Série B pelo Botafogo e principal contratação do Mogi Mirim, deve fazer sua estreia, dando mais ofensividade ao time. O atacante Roni, que trabalhou com o técnico no XV de Piracicaba ano passado, pode ganhar a vaga de Mateus Ortigoza, após fazer boa partida e marcar um gol contra a Ferroviária.

O Mogi Mirim conta com bons jogadores, mas está longe de ser o forte time que disputava com a Ponte Preta o título de quinta força do Estado nos últimos anos. Por ter perdido as duas primeiras partidas, deve entrar em campo pressionado para obter uma vitória em casa. Detalhe: a equipe é formada por muitos jogadores jovens. Portanto, o XV de Piracicaba tem que ser inteligente e usar isso a seu favor, tendo paciência no início e “dando o bote” na hora certa.

Thomas Fiore de Andrade é fanático por futebol e assistiria até o Campeonato Acreano se pudesse

Início