Opinião

Arquibancada Líder

A estreia em casa do XV de Piracicaba no Paulistão será diante do Água Santa, equipe de Diadema que disputou sua primeira competição profissional em 2012 e teve ascensão muito rápida, saindo da quarta divisão paulista para a primeira em 2016 – foram três acessos consecutivos. Um dos grandes responsáveis pelo feito é o técnico Marcio Ribeiro, bastante rodado no interior paulista. Ele esteve no comando do clube nos três acessos e tem a primeira chance da carreira na primeira divisão.

Para o Paulistão, o Água Santa construiu um elenco com muitos atletas experientes (sete dos 11 titulares têm mais de 31 anos) e a maioria dos jogadores tem cancha no interior. Conhecido por montar equipes mais defensivas, Marcio Ribeiro utiliza o esquema 4-2-3-1, com apenas um atacante de ofício. Na partida contra o São Paulo, ele tirou o meia Guaru e colocou o volante Russo, mudando o esquema para um 4-3-2-1, portanto, com três volantes.

O goleiro é Roberto, um dos principais jogadores do XV no Paulistão do ano passado e que parece estar em forma, apesar dos 36 anos, tendo feito duas partidas sem falhas. A linha defensiva é formada pelo lateral-direito Jonathan, outro com passagem pelo XV, em 2012, o lateral-esquerdo Tarracha e os zagueiros Cléber e Eli Sabiá, todos conhecidos e com bastante experiência no futebol paulista.

Os volantes são Sergio Manoel e André Rocha, sendo que o segundo chega bastante ao ataque e leva perigo nas cobranças de falta e em chutes de longa distância. O meio-campo é o setor com mais jogadores experientes da equipe, com Eder (35 anos), Guaru (35), Francisco Alex (32) e Tchô (28) como opções. No ataque, Everaldo tem a função de marcar os gols da equipe, porém, sem sucesso até agora. É um dos mais jovens e o único jogador da equipe sem experiência no futebol paulista – ele se destacou no Brasileirão 2014 pelo Figueirense e acabou indo jogar no Grêmio, onde não teve muitas oportunidades.

O Água Santa vem de uma vitória em casa contra a Ferroviária e fez um ótimo primeiro e início de segundo tempo contra o São Paulo, por isso acredito que não seja um adversário fácil para o XV, principalmente se o técnico Marcio Ribeiro decidir repetir a formação com três volantes, o que dificultaria muito a vida do ataque alvinegro, que nas duas partidas que fez com o time titular (Caldense-MG e Corinthians) não conseguiu marcar gols. Todo cuidado é pouco.

Thomas Fiore de Andrade é fanático por futebol e assistiria até o Campeonato Acreano se pudesse

Início