Judô

Após um ano, Rene volta a lutar: ‘Estou pronto’

Judoca piracicabano supera grave acidente e vai disputar a Copa São Paulo

Rene Mattos, atleta de judô da academia Heisei
Rene volta a lutar após quase um ano parado: expectativa e ansiedade (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Um ano depois de sofrer uma grave lesão no braço esquerdo que o afastou praticamente de toda a temporada 2016, o judoca piracicabano Rene Mattos está de volta aos tatames. A estreia será logo em uma das competições de maior prestígio do esporte: neste sábado (18), Rene viaja para São Bernardo do Campo, onde disputa a Copa São Paulo de Judô, competição que reúne atletas brasileiros e estrangeiros. O piracicabano participa da categoria leve (-73 kg) e tenta superar o melhor resultado no evento, alcançado em 2015, quando chegou às quartas de final.

Aos 24 anos, 20 deles dedicados ao judô, o atleta academia Heisei/Atmosphera se lesionou na véspera do feriado de Páscoa, ano passado, quando viajava de moto para Maresias (São Sebastião) e sofreu acidente ao bater contra as ‘tartarugas’ da pista. Na ocasião, o judoca quebrou a cabeça do rádio, osso superior do antebraço. “O acidente diminuiu a amplitude dos movimentos de extensão e flexão do braço, mas adaptei isso ao meu jogo e não mudou muito. Hoje, eu não posso arriscar tanto a chave de braço, por exemplo, mas pensando na luta, não muda muito”, disse.

Antes de parar, Rene disputava a categoria meio-médio (-81 kg). Com o período fora de competição, o atleta perdeu peso e agora vai lutar no ABC Paulista na classe leve (-73 kg). A mudança, segundo ele, pode ser positiva. “Eu acho que a nova categoria me tranquiliza um pouco, pois gosto da luta rápida. No meio-médio, prevalecem os lutadores mais fortes. Agora, acredito que a luta será mais rápida e isso pode favorecer meu jogo. No peso leve, lutei cinco anos. Depois subi, mas, por conta da lesão, perdi muito peso e voltei para a categoria de baixo”, contou.

 

ANSIEDADE

Perguntado sobre a expectativa pela reestreia, Rene admitiu que está ansioso para lutar. “No momento, estou confiante e com a cabeça tranquila para entrar no tatame, mas existe aquela ansiedade, é muito tempo sem lutar”. O fato de estar longe do tatame há quase um ano, porém, não diminui em nada as ambições do piracicabano. “Atleta sempre quer resultado. Gosto de competir e espero voltar com uma medalha, pois é algo que eu ainda não tenho na Copa São Paulo. Vai ser uma experiência legal e importante para a sequência, quando começam outras competições, temos a qualificação para o Paulista. Estou preparado”, completou o judoca.

Início