Humor

Alô, Brasil! Em 2017 eu tô viajando o país!

Destemidos e valentes, somos campeões. Não adiantou catiça, reza braba e mandinga. É caminhãozinho que tomba, terno que suja, chuva que pinga (opa, pinga!), bola que desvia e cocoricó do Mateus. Ô, meu Deus! Porque o jogo começou tão ruim para o XV que a torcida lá de Araraquara falava: ‘Aff!’. Piada ruim? É que você não escutou a da tia da batata! E veio o segundo tempo, Zé Mateus deu mim acher na bola e 3×0. O setor ararapet gritava que é campeão e o Rodrigão Barcelona (de Guayaquil) guardou de moringa.

Nos pênaltis eu estava sossegado, com o terço na mão e sem olhar para o campo. Plantão Joaquim da Serra Negra informa: pênalti de Rafael Gomes e Samoel Pizzi é mais emocionante que sorteio da Time Mania. Aposta de risco! E o Romarinho cobrou na bochecha da rede. Que beleza! E a Locomotiva? Descarrilou! Sem mi-mi-mi que se fosse Copa do Brasil não ia nem para os pênaltis. A festa em Piracicaba foi linda e tinha chopp à vontade. E o Romarinho tava mais louco que o Bruce em dia de maldade.

O Celso jogou a medalha para a torcida. A última vez que alguém jogou alguma coisa para a torcida foi em 2009. Jogaram bala! Ô, pobreza (de espírito). E o que eu falo, eu cumpro, e se eu num cumpro, eu falo que não falei. Entendeu? Nem eu! Então comemora que logo passa! Alô, Brasil! Prepara o nabo que em 2017 eu tô viajando o país na Série D. Estou aqui em Aparecida pra agraciá e pedir para o Moniz não me mandar embora ano que vem. Obrigado, São Mateus! Aqui a gente vai sempre pra frente, outra vitória conquistar. Como diz o nosso hino!

Joaquim da Serra Negra é filho do Barão e torcedor fanático do XV

Início